A ministra da Defesa de Madagascar, Cécile Manorohanta, renunciou ao cargo depois da morte de 28 pessoas na violenta repressãode um protesto no sábado pela guarda presidencial.

"Neste período de crise política, apoio moralmente todas as famílias que sofreram perdas", afirmou a ministra em um comunicado.

"Como mãe não aceito esta violência".

A guarda presidencial matou 28 pessoas e feriu 212 no sábado em Antananarivo, durante a dispersão de uma manifestação convocada pelo prefeito destituído da capital, Andry Rajoelina, que está em uma disputa política com o regime do presidente Marc Ravalomanana.

gp-mc/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.