Ministra confirma morte de 2 pessoas por vírus da gripe no Equador

Quito, 10 jul (EFE).- A ministra equatoriana de Saúde, Caroline Chang, confirmou hoje a morte de duas pessoas por causa da gripe suína no país, informou a Presidência.

EFE |

"Trata-se de uma paciente de 28 anos que adoeceu em uma comunidade rural de Cuenca e de um paciente da província de Tungurahua", segundo informou em seu portal da internet, sem dar mais detalhes.

O Ministério da Saúde estabeleceu a imediata execução dos cercos epidemiológicos e mantém o alerta, assim como a estratégia de combate adotada por causa da declaração de fase 6 por parte da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Esta estratégia inclui a busca e atendimento dos pacientes mais vulneráveis ao vírus AH1N1, como aqueles com doenças crônicas, diz a Presidência.

Justamente hoje, o Ministério da Saúde informou que se decidiu intensificar a vigilância epidemiológica nos pontos de entrada ao país para evitar a expansão da gripe suína, da qual já se confirmaram 218 casos neste país andino.

A decisão foi adotada esta semana na VII reunião do Comitê de Operações de Emergência Nacional (COE), que também optou por manter o acompanhamento especial das pessoas que apresentem sintomas e que tenham tido contato com casos confirmados.

A província do Guayas, cuja capital é Guayaquil, é a mais afetada pelo vírus AH1N1 com mais de uma centena de casos, mas também foram confirmados doentes com esse mal nas províncias de Pichincha, El Oro, Manabí, Azuay, Cañar, Chimborazo, Tungurahua, Pastaza, Carchi, Esmeraldas y Loja.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE sm/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG