Mineradora destrói vestígios de cultura pré-inca no Peru

Lima, 25 jul (EFE).- Uma empresa voltada à extração de mármore destruiu vários resquícios da cultura pré-inca Sicán em uma zona arqueológica situada na região de Lambayeque, no norte do Peru, confirmaram hoje fontes oficiais.

EFE |

A mineradora, do cidadão peruano Pedro Valle Martínez, realiza suas atividades há 12 anos no setor de Colina Huaringas, na província de Ferreñafe (norte do Peru), onde se desenvolveu a cultura Sicán.

Após percorrer a zona arqueológica, o diretor do Museu Sicán, o arqueólogo Carlos Elera, manifestou que, nos locais onde a mineradora atuou, existem evidências de vestígios que foram destruídos, como pisos de pedra e peças de cerâmica desta cultura pré-colombiana, embora não tenha detalhado a magnitude do dano.

Ele acrescentou que na área também existe uma mina de cobre, cuja data varia entre os anos 800 e 1.532 da nossa era, e que teria sido explorada irregularmente por essa empresa.

O arqueólogo se queixou de que Pedro Valle "não permite que os habitantes e as autoridades verifiquem a situação real da região, que constitui parte da herança cultural da população de Ferreñafe".

A delegação de especialistas também encontrou centenas de buracos cavados por saqueadores e grande quantidade de peças de cerâmica disseminadas em uma extensão de mais de 500 metros quadrados.

A cultura Sicán, que se desenvolveu em Lambayeque, foi descoberta no final dos anos 60 e se caracteriza pelos enterros com objetos de ouro e prata, motivo pelo qual seus restos foram saqueados em repetidas ocasiões. EFE watt/bm/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG