Mineiros chilenos se mudam para local mais seco da mina

Perfuração destinada a resgatar os mineradores começa a ser feita nesta segunda-feira

iG São Paulo |

Os 33 trabalhadores que desde o dia 5 de agosto estão presos em uma mina no norte do Chile "se mudaram" neste domingo para um setor mais seco e profundo da jazida, informou o ministro da Mineração, Laurence Golborne. O novo assentamento dos mineradores está a cerca de 300 metros do anterior, em um setor mais profundo, porém mais seco.

A 700 metros de profundidade os mineradores dispõem de um espaço de aproximadamente 1,5 quilômetros para se movimentar, podendo organizar adequadamente sua estadia na mina San José, com lugares para comer e se divertir e outros para dormir e guardar mantimentos.

As imagens que mostraram os soterrados em um vídeo gravado por eles mesmos, onde apareciam sem camisa e sujos de lodo, revelaram que o ambiente anterior era quente e muito úmido. Alguns, inclusive, apresentavam fungos em algumas partes do corpo e feridas que, embora tenham sido tratadas rapidamente, com remédios enviados da superfície, recomendavam a mudança para um local mais seco.

AFP/ARIEL MARINKOVIC
Homens trabalham com equipamento que irá perfurar o solo para resgatar os 33 mineiros

Johnny Barrios, um dos trabalhadores que tem conhecimentos de enfermagem, vacinou seus companheiros contra o tétano e a difteria. Nesta segunda-feira, serão imunizados contra pneumococos e na próxima quarta-feira contra todos os tipos de gripes, disse o Secretário de Saúde de Atacama, Raúl Martínez.

Pelo canal que são enviados os remédios foram enviados equipamentos para melhorar a qualidade de vida dentro da mina. Colchões infláveis, que permitirão isolar o solo úmido para dormir, meias soquetes com fios de cobre, que protegem de infecções por fungos e bactérias, xampu e tocas de banho foram alguns dos artigos enviados aos mineradores. Em breve, além de alimentos e água, serão enviados aparelhos para entretê-los, como videogames, MP3 players, um projetor de vídeos - com gravações de partidas de futebol - e jogos de dados.

Resgate

A perfuração para tentar resgatá-los começará na madrugada desta segunda-feira (30). As autoridades tinham o objetivo de iniciar as perfurações no sábado, mas os trabalhos atrasaram porque foi necessário reforçar o terreno onde está sendo colocada a máquina de 30 toneladas que será utilizada na escavação. "Estamos fazendo um reforço e pretendemos começar a operar com essa máquina já na segunda-feira", disse Andrés Sougarret, responsável pelo equipamento, a jornalistas.

Sougarret indicou que o conduto descerá 702 metros em linha reta até a galeria da mina San José, próxima a Copiapó (norte do Chile), na qual estão os mineradores presos. Segundo Sougarret, o resgate deverá se estender por um período que pode variar de três a quatro meses.

O ministro de Mineração, Laurence Golborne, confirmou que o governo analisa "ao menos dez opções diferentes" para o resgate, por instruções do presidente Sebastián Piñera, a fim de reduzir o prazo para a evacuação. "O presidente (Piñera) nos pediu para vermos outras opções para resgatar aos mineradores. Isto já está sendo analisando e há ao redor de dez opções", disse Golborne aos jornalistas.

"Os prazos de resgate são de três a quatro meses; no entanto, estamos olhando outras opções porque mais importante do que os prazos é que não podemos falhar. Se for possível acelerar, bem-vindo seja e será uma opção que será adotada", acrescentou.

Recado do Papa

O Papa Bento XVI expressou votos neste domingo de que os 33 mineiros conservem sua serenidade na expectativa de "uma feliz conclusão" das operações de socorro. "Quero lembrar com uma afeição particular os mineiros que estão presos na mina de San José", disse o papa, em espanhol, após a oração do Angelus da janela de sua residência de verão de Castel Gandolfo.

"Eu os recomendo, e a suas famílias, à intercessão de São Lorenço, assegurando-lhes minha proximidade espiritual e minhas preces contínuas, para que mantenham a serenidade na esperança de uma feliz conclusão dos trabalhos de resgate empreendidos".

Depressão

Na sexta-feira, o ministro da Saúde do Chilel Jaime Mañalich, afirmou que 5 dos 33 mineiros aparentam sinais de depressão . Eles não estariam se alimentando bem e se recusaram a aparecer no vídeo de 45 minutos no qual os mineiros foram filmados com mensagens às suas famílias, na noite de quinta-feira.

Segundo Mañalich, psicólogos tentarão tratar os mineiros com depressão a partir da superfície por meio da comunicação por um sistema de interfone.

Os mineiros estão presos desde o dia 5 de agosto, quando o principal acesso ao túnel da mina ruiu. Eles conseguiram se abrigar em um refúgio, com acesso limitado a água e comida, a quase 700 metros de profundidade.

* Com informações da BBC, AFP e da EFE

    Leia tudo sobre: minamineiroschile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG