Mineiros chilenos são informados de que resgate irá até o Natal

Passada euforia inicial, ministro da Saúde acredita que mineiros presos enfrentarão período de depressão e angústia

iG São Paulo |

Os 33 mineiros presos em um mina no norte do Chile foram informados nesta quarta-feira de que o resgate durará muito tempo, e o Natal foi inclusive citado como data para terminar a operação. A informação foi dada pelo ministro da Saúde chileno, Jaime Mañalich. Ele acredita que o ânimo do grupo de mineiros, presos a 700 metros de profundidade, diminua, depois de saberem do tempo que poderá levar o resgate.

AP
Elias Sepúlveda (à dir.) abraça sua prima Katherine perto de local de tributo a seus parentes Esteban e Pablo Rojas, dois dos 33 mineiros presos em jazida chilena
"Dissemos a eles que não serão resgatados antes das festas cívicas (18 de setembro), e que esperamos estar com eles antes do Natal", disse o ministro à imprensa. Antes desta quarta-feira, as autoridades tinham decidido não dizer aos mineiros que o resgate durará cerca de quatro meses, segundo os cálculos do chefe da operação, André Sougarret.

Mañalich ressaltou ainda que é possível os mineiros presos passarem por um período de depressão e angústia, depos da euforia produzida pelo reencontro e pelo contato de domingo. "Estamos preparando remédios para eles, porque seria ingênuo pensar que vão ser capazes de manter esse ânimo que nos mostraram durante um período de tempo tão longo", completou o ministro.

Cintura
Para serem resgatados, os 33 mineiros não podem ter cintura mais larga que 90 centímetros para passar no buraco que está sendo perfurado para o resgate do grupo. O túnel criado deve ter 66 centímetros de diâmetro e as equipes de resgate devem calcular ainda o espaço tomado pela cesta que levará cada um do abrigo em que estão a 688 metros de profundidade até a superfície.

Acredita-se que os trabalhadores perderam bastante peso durante os 17 dias em que sobreviveram com duas colheradas de atum, um gole de leite, uma mordida em um biscoito e um pouco de pêssego em conserva por pessoa a cada dois dias. Eles estão sendo alimentados com líquidos ricos em calorias até que se julgue que possam comer alimentos sólidos.

Em conversa telefônica com o presidente chileno, Sebastián Piñera, o líder dos mineiros, Luis Urzua, pediu para que seu resgate ocorra até o dia 18 de setembro e disse que o grupo está "no inferno".
Piñera respondeu dizendo que não abandonará o homens e que o país todo está com eles.

*Com AFP e BBC

    Leia tudo sobre: chileminasebastian piñeramineirosresgate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG