Minas terrestre dificultam a ofensiva contra Taleban no sul afegão

A ofensiva lançada há quatro dias pelas forças afegãs e internacionais, lideradas pelos Estados Unidos, na zona de Marjah, encontrava nesta terça-feira focos de resistência e centenas de bombas artesanais plantadas pelo caminho, admitiram fontes militares.

iG São Paulo |

"Descobrimos centenas de minas", disse à imprensa o general Besmilah Jan, comandante do Estado Maior do exército afegão. "Avançamos lentamente, pois a zona está cheia de minas", explicou.

Um porta-voz dos Marines americanos, que constituem a coluna vertebral dessa ofensiva aliada, da qual participam 15.000 efetivos, declarou-se nesta terça-feira surpreendido com a quantidade de explosivos espalhados no terreno pelo inimigo. "Há muitos mais do que pensávamos", declarou o tenente Josh Diddams.

Os soldados estão usando detectores de metal e cães farejadores para desarmar uma a uma bombas colocadas em casas, o que faz os militares estimarem que pode levar até 30 dias para que a região fique segura.

Tropas americanas dizem ter descoberto posições que até recentemente eram ocupadas por atiradores Talebans, cercadas de explosivos.

Segundo a Cruz Vermelha, esses artefatos, ocultos junto a estradas, dificultam o traslado de feridos ao hospital de Lashkar Gah, a 20 quilômetros de Marjah.

O avanço da coalizão também se vê dificultado por atiradores emboscados em casas e mesquitas, segundo os militares.

Leia mais sobre Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG