Militares venezuelanos prenderão quem comer cédula do referendo

CARACAS - Nenhuma desculpa será admitida. Se um venezuelano comer sua cédula do referendo de domingo, será preso pelos militares e entregue ao Ministério Público por crime eleitoral.

Reuters |


A advertência foi feita na quarta-feira pelo encarregado da segurança do pleito, general Jesús González González, que lembrou que em ocasiões anteriores alguns eleitores rebeldes rasgaram, amassaram, jogaram fora ou até engoliram seus comprovantes de votação. "Isso é crime eleitoral," disse o militar, chefe do Comando Estratégico Operacional (CEO) das Forças Armadas.

Se o "sim" vencer, cairá o limite para a reeleição de ocupantes de cargos majoritários, de modo que o presidente Hugo Chávez poderia concorrer a um novo mandato em 2012.

O CEO é responsável por todos os corpos de segurança do país durante os processos eleitorais, e González disse que os autores de delitos desse tipo serão presos e levados a promotores.

Cerca de 140 mil soldados e policiais estão convocados para os centros de votação, que serão montados na sexta-feira. Há 16,77 milhões de venezuelanos habilitados a votar.

Leia mais sobre Venezuela

    Leia tudo sobre: venezuela

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG