Tegucigalpa, 8 ago (EFE).- Os reservistas das Forças Armadas de Honduras expressaram hoje seu apoio ao Governo de Roberto Micheletti, a quem o Parlamento designou como presidente depois que os militares expulsaram Manuel Zelaya do país, em 28 de junho.

O presidente da Associação de Reservistas das Forças Armadas, o coronel reformado César Ordóñez, entregou a Micheletti a bandeira hondurenha como mostra de que a organização, disse, está "à disposição" de seu Governo.

A cerimônia aconteceu em uma praça próxima à Casa Presidencial, com a participação de cerca de mil reservistas, que vestiam camisas brancas.

Também teve a presença de um grupo de veteranos de guerra dos conflitos que Honduras manteve com a Nicarágua em 1957 e com El Salvador em 1969, em ambos os casos por causa de problemas em relação a fronteiras.

Em seu discurso, Micheletti agradeceu "a nobreza" dos reservistas, que "se aproximaram a este poder do Estado para se colocar voluntariamente às ordens na defesa da pátria".

Além disso, qualificou as Forças Armadas e a Polícia Nacional de "entes heróicos" e de "fiadores da paz e das liberdades".

O ato foi parte das comemorações do Dia do Reservista, que incluiu atividades em outro setor da capital hondurenha. EFE lam/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.