Militares reformados são condenados por assassinato de escrivão na Argentina

Buenos Aires, 13 abr (EFE).- Os ex-coronéis argentinos Carlos Arias e Luis Gaspar Zírpolo foram condenados hoje a 20 anos de prisão pelo sequestro e homicídio de um escrivão durante a última ditadura militar (1976-1983), informaram fontes judiciais locais.

EFE |

O Tribunal Oral Federal de Salta condenou os dois militares reformados pelo sequestro e o posterior homicídio de Aldo Melitón Bustos, ocorrido em 2 de fevereiro de 1978, na cidade de Tartagal.

O sequestro do escrivão aconteceu na presença de seu filho, Raúl, que naquela época tinha 16 anos e foi uma das testemunhas-chave durante o julgamento.

O tribunal disse que os dois ex-coronéis são culpados pelos delitos de "homicídio simples" e "privação ilegítima da liberdade".

Durante o julgamento, que começou no fim de novembro do ano passado, tanto a Promotoria como os advogados da família de Bustos pediram a prisão perpétua para os acusados.

A filha do escrivão, Sonia Bustos, comentou hoje em declarações a uma rádio argentina que está satisfeita com a condenação. EFE ea/dr/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG