Militares mortos no Haiti são sepultados como heróis

Dezessete dos 18 militares brasileiros mortos no terremoto ocorrido dia 12 no Haiti foram enterrados em suas respectivas cidades hoje. As cerimônias de sepultamento tiveram em comum bandeiras a meio mastro, toque fúnebre e salva de tiros, entre as honrarias do Exército.

Agência Estado |

A população local também se somou a amigos e parentes na recepção dos corpos dos militares que serviram na Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah). Ontem, eles foram homenageados em cerimônia na base aérea de Brasília, que contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de ministros.

Hoje, na cidade de Lorena (SP) e região, foram sepultados quatro militares: o segundo-sargento Davi Ramos de Lima, o soldado Felipe Gonçalves Julio, e os cabos Douglas Pedrotti Neckel e Washington Luiz de Souza Serafim, integrantes do 5º Batalhão de Infantaria Leve (5º BIL). Amigos e familiares de Felipe Gonçalves vestiam camisetas estampadas com a frase: "Seu sorriso jamais será esquecido. Você é nosso herói."

Também no Estado de São Paulo, a cidade de Cachoeira Paulista, de 40 mil habitantes, parou nesta manhã para receber os corpos dos soldados Antonio José Anacleto, Rodrigo Augusto da Silva e Tiago Anaya Detimermani. Eles foram aclamados pela população como heróis que morreram em missão de paz.

Uma missa de corpo presente foi celebrada às 11h30 em homenagem a eles. Os três seriam sepultados em cidades diferentes. Anacleto ficou em Cachoeira Paulista; Silva, em Silveiras, e Anaya, em Cruzeiro.

Baixada Santista

Duas vítimas do terremoto no Haiti foram enterradas hoje, em São Vicente. Um deles é o cabo do Exército Ari Dirceu Fernandes Júnior, de 23 anos, sepultado por volta do meio-dia no cemitério metropolitano de São Vicente, na Baixada Santista. Antes, disso, o corpo do militar foi velado na catedral de Santos.

A cerimônia teve a presença de militares, amigos e familiares, que agradeceram o apoio recebido do Exército. Cabo Dirceu, como era chamado, integrava o 2º Batalhão de Infantaria Leve (BIL) de São Vicente.

Outro integrante do mesmo batalhão, o soldado Kléber da Silva Santos, de 22 anos, também foi enterrado hoje em São Vicente. Dezenas de pessoas usavam uma camiseta com a foto de Santos e os dizeres "Haiti: mais que uma missão, um ato de solidariedade".

Minas Gerais

Um clima de forte emoção marcou as últimas homenagens aos militares do Estado. O subtenente Raniel Batista de Camargos, de 43 anos, foi enterrado pela manhã em Patos de Minas (MG). Casado e pai de dois filhos, ele conversava com a mulher por telefone, quando a ligação foi interrompida por causa do terremoto. Ele deveria retornar ao Brasil na quinta-feira (28).

Em São João del Rei, na região do Campo das Vertentes, o corpo do segundo-sargento Leonardo de Castro Carvalho era velado desde a madrugada, no Salão de Honra da prefeitura. Já o corpo do major Francisco Adolfo Vianna Martins Filho, de 41 anos, natural de Belo Horizonte, foi sepultado em Brasília, onde reside a família. Martins Filho era casado, pai de uma filha de 9 anos e servia no gabinete do comandante do Exército, Enzo Martins Peri, onde desempenhava a função de ajudante de ordens do comando da Minustah.

Rio Grande do Sul

Foi sepultado nesta manhã, em Santa Maria, o corpo do primeiro-tenente Bruno Ribeiro Mário. Natural de São Gabriel (RS), ele era esperado por parentes e amigos para comemorar seus 27 anos no dia 8 de fevereiro, após o término do período de seis meses integrando a missão de estabilização no Haiti. Ele fazia parte do 5º Batalhão de Infantaria Leve, com sede em Lorena (SP).

Rio

Familiares, amigos e colegas de farda se despediram hoje de quatro militares. O primeiro sepultamento foi de Marcus Vinícius Macêdo Cysneiros, de 41 anos, pela manhã, no Cemitério Parque da Colina, em Niterói (Região Metropolitana). O corpo dele foi escoltado até o jazigo por militares do 8º Contingente, que devem retornar ao Haiti nos próximos dias.

No Crematório do Cemitério do Caju, o corpo do general de Brigada, Emílio Carlos Torres dos Santos, de 46 anos, foi cremado nesta tarde, após salva de tiros e homenagens militares no Memorial do Carmo (Zona Portuária).

O tenente-coronel Márcio Guimarães Martins foi enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste. Na cidade de Piraí, no Sul Fluminense, o sargento Rodrigo de Souza Lima, de 24 anos, foi velado na Câmara Municipal e enterrado no Cemitério da cidade Paracambi. Ele chegaria no Brasil no dia 16 e celebraria o aniversário ontem.

    Leia tudo sobre: haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG