Dezessete dos 18 militares brasileiros mortos no terremoto ocorrido dia 12 no Haiti foram enterrados em suas respectivas cidades hoje. As cerimônias de sepultamento tiveram em comum bandeiras a meio mastro, toque fúnebre e salva de tiros, entre as honrarias do Exército.

A população local também se somou a amigos e parentes na recepção dos corpos dos militares que serviram na Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah). Ontem, eles foram homenageados em cerimônia na base aérea de Brasília, que contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de ministros.

Hoje, na cidade de Lorena (SP) e região, foram sepultados quatro militares: o segundo-sargento Davi Ramos de Lima, o soldado Felipe Gonçalves Julio, e os cabos Douglas Pedrotti Neckel e Washington Luiz de Souza Serafim, integrantes do 5º Batalhão de Infantaria Leve (5º BIL). Amigos e familiares de Felipe Gonçalves vestiam camisetas estampadas com a frase: "Seu sorriso jamais será esquecido. Você é nosso herói."

Também no Estado de São Paulo, a cidade de Cachoeira Paulista, de 40 mil habitantes, parou nesta manhã para receber os corpos dos soldados Antonio José Anacleto, Rodrigo Augusto da Silva e Tiago Anaya Detimermani. Eles foram aclamados pela população como heróis que morreram em missão de paz.

Uma missa de corpo presente foi celebrada às 11h30 em homenagem a eles. Os três seriam sepultados em cidades diferentes. Anacleto ficou em Cachoeira Paulista; Silva, em Silveiras, e Anaya, em Cruzeiro.

Baixada Santista

Duas vítimas do terremoto no Haiti foram enterradas hoje, em São Vicente. Um deles é o cabo do Exército Ari Dirceu Fernandes Júnior, de 23 anos, sepultado por volta do meio-dia no cemitério metropolitano de São Vicente, na Baixada Santista. Antes, disso, o corpo do militar foi velado na catedral de Santos.

A cerimônia teve a presença de militares, amigos e familiares, que agradeceram o apoio recebido do Exército. Cabo Dirceu, como era chamado, integrava o 2º Batalhão de Infantaria Leve (BIL) de São Vicente.

Outro integrante do mesmo batalhão, o soldado Kléber da Silva Santos, de 22 anos, também foi enterrado hoje em São Vicente. Dezenas de pessoas usavam uma camiseta com a foto de Santos e os dizeres "Haiti: mais que uma missão, um ato de solidariedade".

Minas Gerais

Um clima de forte emoção marcou as últimas homenagens aos militares do Estado. O subtenente Raniel Batista de Camargos, de 43 anos, foi enterrado pela manhã em Patos de Minas (MG). Casado e pai de dois filhos, ele conversava com a mulher por telefone, quando a ligação foi interrompida por causa do terremoto. Ele deveria retornar ao Brasil na quinta-feira (28).

Em São João del Rei, na região do Campo das Vertentes, o corpo do segundo-sargento Leonardo de Castro Carvalho era velado desde a madrugada, no Salão de Honra da prefeitura. Já o corpo do major Francisco Adolfo Vianna Martins Filho, de 41 anos, natural de Belo Horizonte, foi sepultado em Brasília, onde reside a família. Martins Filho era casado, pai de uma filha de 9 anos e servia no gabinete do comandante do Exército, Enzo Martins Peri, onde desempenhava a função de ajudante de ordens do comando da Minustah.

Rio Grande do Sul

Foi sepultado nesta manhã, em Santa Maria, o corpo do primeiro-tenente Bruno Ribeiro Mário. Natural de São Gabriel (RS), ele era esperado por parentes e amigos para comemorar seus 27 anos no dia 8 de fevereiro, após o término do período de seis meses integrando a missão de estabilização no Haiti. Ele fazia parte do 5º Batalhão de Infantaria Leve, com sede em Lorena (SP).

Rio

Familiares, amigos e colegas de farda se despediram hoje de quatro militares. O primeiro sepultamento foi de Marcus Vinícius Macêdo Cysneiros, de 41 anos, pela manhã, no Cemitério Parque da Colina, em Niterói (Região Metropolitana). O corpo dele foi escoltado até o jazigo por militares do 8º Contingente, que devem retornar ao Haiti nos próximos dias.

No Crematório do Cemitério do Caju, o corpo do general de Brigada, Emílio Carlos Torres dos Santos, de 46 anos, foi cremado nesta tarde, após salva de tiros e homenagens militares no Memorial do Carmo (Zona Portuária).

O tenente-coronel Márcio Guimarães Martins foi enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste. Na cidade de Piraí, no Sul Fluminense, o sargento Rodrigo de Souza Lima, de 24 anos, foi velado na Câmara Municipal e enterrado no Cemitério da cidade Paracambi. Ele chegaria no Brasil no dia 16 e celebraria o aniversário ontem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.