Militares matam ao menos 15 manifestantes em Madagascar

Johanesburgo - Pelo menos 15 pessoas manifestantes antigovernamentais foram mortos neste sábado e outros vários ficaram feridos ao serem baleados por soldados que estavam de guarda no Palácio Presidencial de Antananarivo, informou a imprensa local.

EFE |

Segundo a emissora local "MATV", 15 pessoas foram mortas durante uma manifestação iniciada neste sábado após o ex-prefeito de Antananrivo Andry Rajoelina anunciar que está à frente do governo transitório local.

AFP
Homem foge dos tiros durante manifestação em Madagascar


Após os incidentes, Rajoelina acusou o governo do presidente Marc Ravalomanana de atacar civis indefesos e pediu aos militares que apóiem seu movimento para derrubar o Executivo.

Outros veículos da imprensa local indicam que ao menos 30 pessoas podem ter morrido nos protestos, e afirmam que os hospitais locais estão cheios de feridos pelos militares.

Na quarta-feira passada, o governo de Ravalomanana destituiu Rajoelina do cargo de prefeito, mas este a rejeitou e convocou novas manifestações em Antananarivo a favor do Executivo de transição que impulsiona.

AFP
Manifestantes demonstram apoio ao prefeito afastado de Antananarivo


Desde 26 de janeiro, Rajoelina lidera várias manifestações contra o governo em Antananarivo, onde reivindicou a destituição de Ravalomanana.

Pelo menos 90 pessoas morreram na semana passada em distúrbios relacionados com os protestos.

As próximas eleições presidenciais de Madagascar estão previstas para 2011 e Rajoelina não poderá se candidatar, porque a Constituição malgaxe exige que os chefes do Estado tenham ao menos 40 anos, e ele tem apenas 34.

Leia mais sobre: violência

    Leia tudo sobre: madagascar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG