Militares e policiais homossexuais italianos criam associação

Roma, 2 set (EFE).- Os homens e mulheres homossexuais que trabalham para as forças armadas e a Polícia na Itália criaram sua primeira associação para ajudar os companheiros que queiram revelar sua orientação sexual no local de trabalho.

EFE |

A associação Polis Aperta (Cidade Aberta) nasce para ajudar os oficiais a "vencer o temor de 'sair do armário' por causa de uma discriminação galopante", explicou o presidente da associação, Nicola Cicchitti, ao diário "Corriere della Sera".

A Polis Aperta, que nascerá oficialmente no dia 26 de setembro com uma reunião de sua junta direção e a apresentação dos estatutos em Bolonha (nordeste), já conta com 200 inscritos, segundo o diário.

"Para muitos de nós, o temor não está na reação violenta de nossos superiores mas na posterior discriminação provocada pelo ato de confessar a orientação sexual", explica no jornal o oficial Vito Raimondi.

Os homossexuais militares e policiais asseguram que a associação será "uma resposta e não um problema", e se ofereceram ao ministro da Defesa italiano, Ignazio La Russa, para organizar cursos entre seus colegas para combater os crimes de violência ou discriminação contra o coletivo homossexual. EFE ccg/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG