Militares dos EUA ocupam Palácio Presidencial do Haiti

PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - Helicópteros militares Black Hawk norte-americanos pousaram no terreno do palácio presidencial haitiano em Porto Príncipe na terça-feira e desembarcaram soldados que começaram a descarregar equipamentos, água e rações de alimentos, afirmaram testemunhas. Cerca de 20 helicópteros, aterrissando em série, deixaram os soldados norte-americanos vestidos em roupa de combate que iniciaram o descarregamento de caixas de garrafas de água e rações de alimentos, assim como equipamentos.

Reuters |

Aparentemente eles estavam montando um tipo de base avançada no palácio, possivelmente antes de distribuir assistência às vítimas do terremoto a partir dali.

Centenas de sobreviventes do terremoto que devastou o Haiti, que acamparam num campo improvisado perto do palácio presidencial, correram até o gradil de ferro na frente do edifício, aglomerando-se e aguardando assistência.

Comentando "Ótimo!" e "Aí vêm eles!", a multidão no geral saudou a chegada dos soldados norte-americanos.

"Não sabemos exatamente o que vieram fazer, mas acho que eles estão aqui para nos ajudar, então nós lhes damos boas vindas", disse à Reuters Alex Michel, um dos que observavam a cena.

"Não gostaríamos de ver o desembarque militar estrangeiro em nosso país, mas, dada a terrível situação em que nos encontramos, a presença deles é necessária", disse Moline Augustin, que também observava o movimento do lado de fora do palácio.

Mais de 11 mil militares dos EUA estão no Haiti, em embarcações na costa ou a caminho do país. Isso inclui fuzileiros navais e soldados aerotransportados.

Oficiais dos EUA afirmam que a principal missão dos soldados norte-americanos é humanitária, para participar e ajudar a proteger a enorme operação internacional de distribuição de assistência para as vítimas do terremoto. Mas eles acrescentam que também estarão preparados para aumentar a segurança em Porto Príncipe, caso necessário.

(Reportagem de Carlos Barria e Andy Cawthorne)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG