Militares de Honduras apoiam solução negociada dentro da Constituição

Tegucigalpa, 26 jul (EFE).- As Forças Armadas de Honduras expressaram hoje seu apoio a uma solução negociada para a crise política do país dentro da mediação do presidente da Costa Rica, Oscar Arias, mas que também se inclua na Constituição e nas leis.

EFE |

Em comunicado datado do último dia 24, os militares seguem a linha do Governo do novo presidente de Honduras, Roberto Micheletti, designado pelo Parlamento para substituir o líder deposto Manuel Zelaya em 28 de junho, dia em que foi derrubado.

A validade do comunicado foi confirmada hoje à Agência Efe por uma alta fonte militar hondurenha.

"As Forças Armadas respeitam a Constituição e as leis, e por isso reafirmamos nossa subordinação à autoridade civil", diz a nota.

"Apoiamos uma solução à problemática que atravessa nosso país, mediante um processo de negociação no marco do Acordo de San José.

Além disso, reiteramos nosso apoio irrestrito aos resultados da mesma, conforme a nossa Constituição e demais leis", segue o texto.

"As Forças Armadas cumprem e seguirão cumprindo as missões atribuídas pela Constituição e pelas leis da República", conclui o comunicado, que não menciona Zelaya.

Na quarta-feira, Arias propôs no Acordo de San José a recondução condicionada de Zelaya, anistia política e a antecipação das eleições de novembro, entre outros pontos.

Zelaya rejeitou a proposta e deu por fracassado o diálogo, enquanto o Governo de Micheletti insiste em sua recusa ao retorno do presidente deposto, embora tenha dito que segue no processo mediado por Arias.

Entretano, em diversas ocasiões, Micheletti, seu ministro das Relações Exteriores, Carlos López, e outros membros do novo Governo hondurenho reiteraram que o retorno de Zelaya é "inaceitável e inegociável" porque violaria a Constituição. EFE lam/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG