Militares brasileiros mortos no Haiti recebem homenagem

Os 18 militares brasileiros mortos no Haiti receberam uma homenagem nesta quinta-feira. A cerimônia, realizada na Base Aérea de Brasília, contou com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além de ministros, comandantes militares, parlamentares e parentes.

iG São Paulo |

AE
Militares brasileiros mortos no Haiti recebem homenagem póstuma

Militares brasileiros mortos no Haiti recebem homenagem póstuma

Em seu pronunciamento, o presidente Lula agradeceu nominalmente a cada um dos militares, a quem chamou de "destemidos compatriotas". "Eles chegaram ao Haiti levando a seguinte mensagem: vocês não estão sozinhos", afirmou Lula. "Viemos aqui em nome do Brasil. Trazemos segurança para suas famílias, trazemos paz, trazemos remédios, solidariedade e, acima de tudo, o respeito do povo brasileiro".

Durante a homenagem, os militares mortos foram condecorados com a Medalha do Pacificador com Palma e receberam a Promoção post mortem. A medalha, segundo o Exército, é concedida aos militares brasileiros "que, em tempo de paz, no exercício de suas funções ou no cumprimento de missões de caráter militar, tenham se distinguido por atos pessoais de abnegação, coragem e bravura, com risco de vida".

A Promoção post mortem é concedida ao militar que, em pleno serviço, morra em consequência de ferimentos recebidos em campanha ou na manutenção da ordem pública, ou em virtude de acidente em serviço.

Antes da homenagem póstuma, um velório aberto apenas para os familiares das vítimas foi realizado na Base Aérea de Brasília, em clima de grande comoção.

Nas duas cerimônias, os caixões lacrados foram dispostos lado a lado e cobertos com a bandeira nacional.  Sobre cada um está a foto da vítima com a mensagem: "Missão cumprida. O Brasil e o Exército agradecem ao nosso heroico soldado da paz."

AE
Familiares participam de velório de militares em Brasília

Familiares participam de velório de militares em Brasília

Após a homenagem, os corpos serão trasladados em aviões da FAB para as respectivas cidades de origem, onde serão enterrados.

Os corpos dos membros do Exército, integrantes da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah), chegaram na noite de quarta-feira a Brasília em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). A aeronave fez uma escala em Manaus.

No Rio de Janeiro foi realizado, no Palácio Itamaraty, o velório de Luiz Carlos da Costa , vice-representante especial do secretário-geral das Nações Unidas na Minustah, que também morreu no terremoto. As outras vítimas civis foram a médica Zilda Arns e uma menina que tem dupla nacionalidade, cuja identidade a família preferiu não divulgar.

Além disso, nesta quinta-feira foi encontrado o corpo do tenente Cleiton Batista Neiva , de 33 anos, da Polícia Militar de Brasília. Ele fazia trabalho voluntário no Haiti desde 2007 e estava na sede ONU no momento da tragédia.

Terremoto devastador

O terremoto de 7 graus na Escala Richter atingiu o Haiti no dia 12 e deixou ao menos 75 mil mortos, segundo a Defesa Civil do país caribenho.

Há também 250 mil feridos e 2 milhão de desabrigados. O órgão informou que o país está em situação desesperadora por abrigo, água, alimentos e remédios, e metade das construções foram destruídas na região da capital Porto Príncipe.

Com Agência Estado

Veja também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG