intromissão externa de Chávez - Mundo - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Militares bolivianos rejeitarão intromissão externa de Chávez

As Forças Armadas da Bolívia rejeitaram nesta sexta-feira eventuais intromissões externas de qualquer tipo em assuntos internos, em resposta ao anúncio do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, de que apoiará qualquer movimento armado, caso seu colega Evo Morales seja derrubado.

AFP |

Ao presidente Chávez, "dizemos que as Forças Armadas rejeitam enfaticamente intromissões externas de qualquer tipo, venham de onde vierem, e não permitirão que nenhum militar ou força estrangeira pise em território nacional", indicou um comunicado militar.

No sábado, Chávez havia dito em Caracas que "se derrubarem Evo, se o matarem, saibam os golpistas da Bolívia que estarão me dando sinal verde para apoiar qualquer movimento armado na Bolívia".

O presidente venezuelano chegou a dizer que seu governo se consideraria autorizado a "realizar mobilizações de qualquer tipo" na Bolívia, se houver um golpe de Estado, no momento em que Morales suporta forte pressão dos grupos de direita.

O comunicado das Forças Armadas bolivianas, lido por seu comandante, general Luis Trigo, reitera que a corporação "rejeita, de maneira firme e contundente, qualquer tipo de intromissão externa em assuntos que são de exclusiva competência nacional".

O texto também destaca que o fato de o Exército "não ter agido com violência e empregado armas contra nosso povo" nos saques de instituições pelos grupos de direita "não significa que as Forças Armadas estejam contra a ordem institucional".

"Vamos garantir o patrimônio da nação, o funcionamento da máquina estatal e dos serviços públicos, assim como a conservação dos recursos estratégicos".

Os militares advertiram ainda que "não vamos tolerar mais o agir de grupos radicais violentos".

rb/dm/tt

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG