Militares bolivianos prendem 2 prefeitos e cunhado de ex-governador de Pando

La Paz, 29 out (EFE).- Militares no departamento boliviano de Pando (norte) prenderam dois prefeitos, um ex-constituinte e o cunhado do ex-governador Leopoldo Fernández, informou hoje a imprensa local.

EFE |

As detenções dos prefeitos de Porvenir, Homer Polanco, e de Bolpebra, Máximo Ayllón, e do cunhado de Fernández Melitón Brito foram efetuadas por soldados do Comando Conjunto das Forças Armadas destacado em Pando, diz o jornal "La Prensa", que citou fontes do Ministério do Governo boliviano.

O jornal também informou a prisão do ex-constituinte do Poder Democrático e Social (Podemos) Abel Janco.

O departamento de Pando segue sob estado de sítio desde que o Governo central decretou a medida em 12 de setembro, após os violentos confrontos entre opositores e governistas que deixaram pelo menos 18 mortos.

Os choques, que aconteceram em Porvenir, foram os mais duros da onda de violência que se estendeu por várias regiões do país em setembro.

Fernández permanece preso preventivamente em La Paz e é acusado de crimes de genocídio por sua suposta responsabilidade nos confrontos.

Na última segunda, a Corte Superior do Distrito de Chuquisaca aceitou o pedido de habeas corpus do ex-governador de Pando e decretou sua transferência para Sucre, para ser julgado pela Corte Suprema de Justiça da Bolívia, diante de sua condição de ex-autoridade.

No entanto, o Governo rejeitou o recurso e anunciou que apresentará uma querela contra os vogais da Corte Superior do Distrito de Chuquisaca que decidiram a favor de Fernández.

Segundo o jornal "El Deber", as detenções dos dois prefeitos aconteceram ontem à tarde, após terem sido chamados para uma reunião no Serviço Departamental de Vias e por pessoas que não tinham um mandado de prisão.

Em declarações à emissora "Bolivisión", Lorenzo Fernández, irmão do ex-governador, contou que recebeu um telefonema de seu cunhado na qual ele disse que estava sendo preso por "militares" e que, desde então, não aconteceram mais contatos.

O ministro do Governo boliviano, Alfredo Rada, declarou à imprensa que as últimas detenções não estão relacionadas com a violência em Porvenir e que se trata de outro caso sobre o qual informará em outro momento, segundo o jornal "La Prensa". EFE az/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG