Militares bolivianos iniciam vigilância da fronteira com o Brasil

Militares bolivianos começaram a controlar nesta segunda-feira, por tempo indeterminado, alguns pontos da fronteira da Bolívia com o Brasil considerados rotas para os tráficos de drogas e de armas, informou o ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana.

AFP |

"Todos os efetivos militares deslocados de diferentes pontos do país para o departamento de Santa Cruz (leste) já se encontram em suas unidades de destino e têm a ordem de iniciar seu trabalho normalmente a partir desta segunda-feira", afirmou em uma entrevista coletiva à imprensa o ministro Quintana.

O governo deslocou no final de semana entre 300 e 500 militares para os povoados fronteiriços de San Matías, Roboré, Puerto Suárez, San Ignacio de Velasco e San José de Chiquitos, vizinhos dos estados brasileiros de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, que cobrem uma parte dos 3.000 quilômetros de fronteira entre os dois países. Alguns meios indicaram que as tropas deslocadas somam 1.500 homens.

De acordo com o ministro Quintana, nesses pontos limítrofes foram constatados uma "grande atividade do narcotráfico, tráfico de armas e de veículos e comércio ilegal de recursos naturais".

Parte do trabalho de controle fronteiriço -segundo o ministro da Presidência- será reforçar os postos militares avançados.

O deslocamento de militares para Santa Cruz provocou o descontentamento de líderes civis de Santa Cruz.

"É uma nova agressão do governo aos departamentos do oriente, já haviam feito em Pando. Isto se chama militarização", protestou o presidente da Câmara dos Senadores, Oscar Ortiz, de Santa Cruz.

jac/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG