Militares acham mais 4 corpos de vítimas do avião

Rio de Janeiro, 9 jun (EFE).- As autoridades brasileiras retiraram hoje do mar os cadáveres de outras quatro vítimas do acidente do avião da Air France que caiu no Oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo, e com isso subiu para 28 o número de corpos resgatados.

EFE |

Os novos cadáveres encontrados foram depositados nas câmaras frigoríficas da fragata "Bosísio", uma das cinco embarcações brasileiras que participam das buscas, segundo um comunicado divulgado hoje pela Marinha e pela Aeronáutica.

Nessa fragata, cujas câmaras frigoríficas têm capacidade para 20 corpos, já há 12 cadáveres de vítimas da tragédia.

"Os corpos foram encontrados ao nordeste das ilhotas de São Pedro e São Paulo. Mais ou menos nos mesmos locais em que foram achados os outros cadáveres", disse o tenente-coronel Henry Wilson Munhoz, porta-voz da Aeronáutica, em entrevista coletiva em Recife.

As buscas por destroços e corpos das vítimas do acidente estão concentradas cerca de 440 quilômetros ao nordeste de São Pedro e São Paulo, rochedos desabitados localizados a 1,296 mil quilômetros de Recife e 704 quilômetros de Fernando de Noronha.

Os responsáveis pela busca informaram também que os 16 primeiros cadáveres resgatados foram levados pela fragata Constituição até um lugar a cerca de 50 quilômetros de Fernando de Noronha, onde foram recolhidos por dois helicópteros, que os levaram ao arquipélago.

Segundo o comunicado, os corpos serão submetidos a uma perícia inicial em Fernando de Noronha e depois levados em um avião Hércules C-130 da Força Aérea até Recife, onde fica o comando da busca e lugar onde serão realizados os trabalhos de identificação dos corpos.

A nota acrescentou que, apesar das condições meteorológicas serem normais no local da busca, onde os trabalhos continuam ininterruptamente, não são em Fernando de Noronha, o que pode adiar a decolagem dos aviões a partir do arquipélago.

Segundo Munhoz, após ter transportado os corpos até Fernando de Noronha, a fragata "Constituição" voltará ainda hoje ao local das buscas, enquanto a fragata "Bosísio" se dirigirá ao arquipélago quando suas câmaras frigoríficas não tiverem mais capacidade.

O oficial acrescentou que 200 vítimas continuam desaparecidas, mas esclareceu que a "Marina do Brasil e a Força Aérea farão todos os esforços necessários para encontrar o maior número possível de corpos".

O oficial também mostrou as fotos de uma peça metálica que aparentemente é parte de uma das asas do Airbus A-330 acidentado e que já foi retirada do mar, mas esclareceu que só o fabricante pode para confirmar a que parte do avião corresponde.

As buscas contam com a participação de 570 militares da Marinha, 265 da Força Aérea e 14 aeronaves - 12 brasileiras e 2 francesas -, assim como cinco navios brasileiros e a fragata francesa "Ventôse".

As causas do acidente e as buscas pela caixa-preta são de responsabilidade das autoridades francesas, que enviaram um submarino à área. EFE cm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG