Militar morto no Haiti tinha planos de deixar o Exército

SÃO PAULO ¿ O cabo Douglas Pedrotti Neckel, 24 anos, tinha planos de deixar o Exército quando encerrasse sua missão na força de paz da ONU no Haiti, comandada pelo Brasil. A volta para casa estava marcada para o próximo domingo, mas na terça-feira ele morreu vítima do terremoto que devastou o país.

Luísa Pécora, iG São Paulo |


Reprodução
Douglas tinha 24 anos
Douglas tinha 24 anos


No dia da tragédia, ele conversou com a cunhada e alguns amigos pela internet e disse que estava contando os minutos para voltar ao Brasil.

"Ele tinha dito à mãe e à irmã que ia deixar o Exército e trabalhar na transportadora da família", contou Ana Paula, prima de Douglas. "Para ele, sua missão estava cumprida".

Nascido em Cruz Alta (RS), Douglas morava em Lorena (SP) havia 14 anos. Segundo Ana Paula, ele sempre quis servir o Exército e, na época do alistamento, se empenhou para ser convocado.

"A vida dele era o Exército. Nós até criticávamos, porque esse era o assunto dele 24 horas por dia", conta ela. "Todo filme que ele assistia, tudo tinha relação com o Exército".

Douglas foi ao Haiti em julho de 2009. Em outubro, durante um período de 15 dias que passou em Lorena, contou aos familiares que a experiência no país estava sendo uma "lição de vida".

"Ele disse que tinha visto muita pobreza, muito sofrimento, mas que o trabalho estava sendo bom para ele", afirmou Ana Paula. "Ele estava vendo a vida com outros olhos e aprendendo muito".

Reprodução
Douglas (primeiro à esq) e amigos, em foto publicada no Orkut

Douglas (primeiro à esq) e amigos, em foto publicada no Orkut

Em sua página no Orkut, Douglas usou o espaço dedicado a sua descrição pessoal para mandar uma mensagem: "Pense menos em você, olhe para o lado e tente ajudar o próximo", escreveu Douglas. "Quem sabe assim um dia a gente se torne humanos novamente e possamos viver em paz".

O texto serve de conforto para a família do militar. "Ele era uma pessoa muito especial e ultimamente vinha falando bastante sobre a importância de ajudar os outros", conta Ana Paula. "Temos a plena certeza de que ele morreu fazendo algo que queria muito".

Veja abaixo os nomes dos 14 militares mortos:


Leia também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: brasilhaititerremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG