Militar hondurenho pede fechamento de rádio que apoia Zelaya

Tegucigalpa, 4 ago (EFE).- Um representante do Exército hondurenho pediu hoje em caráter pessoal à Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) do país o fechamento da Rádio Globo, veículo que apoia o presidente deposto, Manuel Zelaya, ao acusar a empresa de estimular a insurreição.

EFE |

A solicitação foi apresentada por José Santos López, representante da auditoria jurídico-militar das Forças Armadas de Honduras.

López acusa dois apresentadores da "Rádio Globo", Andrés Pavón e David Romero Elner, de transmitir "um chamado aberto à insurreição".

Além disso, o militar acusa Elner de ter transmitido "notícias falsas chamando as forças policiais e militares à deserção".

Para isso, afirma, pôs "pessoas desconhecidas para falar em nome das mães" dos membros do Exército e divulgou "comunicados inexistentes" sobre a suposta destituição do chefe do Estado-Maior Conjunto, Romeo Vásquez, e do novo presidente hondurenho, Roberto Micheletti.

A "Rádio Globo" tem dado apoio aos pedidos de insurreição feitos por Zelaya contra o Governo nomeado após sua expulsão de Honduras pelos militares e sua destituição pelo Parlamento em 28 de junho.

O relator da ONU sobre Liberdade de Expressão, Franck LaRue, iniciou ontem uma visita a Honduras para analisar a situação no país. EFE pa-gr/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG