Militar americano se casa após fim de veto a gays no Exército

Lei conhecida como Don't Ask, Don't Tell deixa de valer oficialmente, permitindo que militares assumam opção sexual

iG São Paulo |

Um tenente da Marinha americana se casou com seu parceiro pouco depois da meia-noite desta terça-feira, quando a lei conhecida como “Don’t Ask, Don’t Tell” (“não pergunte, não conte”), revogada em dezembro, deixou de valer oficialmente . A medida, que entrou em vigor em 1993, impedia que homens e mulheres homossexuais que prestam serviço militar declarassem sua opção sexual.

O tenente Gary Ross, 33 anos, se casou com Dan Swezy, 49 anos, que estão juntos há 11 anos. A cerimônia da qual participaram amigos e familiares aconteceu em Vermont, um dos seis Estados americanos que permitem uniões civis entre homossexuais – o Texas, onde o casal mora, não é um deles.

AP
Militar Gary Ross (dir) se casa com o parceiro Dan Swezy em Duxbury, no Estado de Vermont

Vestindo seu uniforme da Marinha, Ross disse ter planos de seguir carreira como militar. “Estamos muito felizes que a lei acabou”, afirmou o tenente, que nunca assumiu a homossexualidade para colegas, mas acredita que alguns deles sabiam. “Qualquer pessoa com o mínimo de percepção conseguiria notar”, disse.

Ele não planeja anunciar o casamento quando voltar ao trabalho, na quinta-feira. “Embora a lei tenha acabado, ainda será um elefante branco no meio da sala por algum tempo”, explicou.

Para Ross, o fim da lei vai simplificar vários aspectos de sua vida. “Eu precisava mentir várias vezes ao dia. Estar nas Forças Armadas é algo extremamente invasivo. Você começa a criar uma rede de desculpas quando tenta ser honesto, mas não pode”, disse.

Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, elogiou o fim da política dizendo se tratar de um importante passo em direção a cumprir os ideais de fundação do país.

"A partir de hoje, americanos patriotas em uniforme não terão mais que mentir sobre quem são a fim de servir o país que amam”, afirmou.

"Nossas Forças Armadas têm sido tanto um espelho quanto um catalisador do progresso, e nossos soldados, incluindo gays e lésbicas, deram suas vidas para defender a liberdade e as liberdades que prezamos como americanos", disse Obama.

"Hoje todo americano pode se orgulhar porque tomamos outro grande passo rumo a manter nossas Forças Armadas as melhores do mundo e rumo a cumprir os ideais de fundação de nossa nação", acrescentou o presidente.

Sob a política "Não Pergunte, Não Conte", cerca de 13 mil pessoas foram expulsas das Forças Armadas desde 1993, segundo a Rede de Defesa Legal dos Membros em Serviço.

Durante anos, grupos de direitos dos gays denunciaram a lei e pediram o seu fim como um importante marco na luta contra a discriminação homossexual.

Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: militaresgays no exércitodont ask dont telleuaobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG