Militar americano deixa Filipinas após cancelamento de pena por estupro

Manila, 24 abr (EFE).- Um marine dos Estados Unidos condenado à prisão perpétua por estuprar uma mulher nas Filipinas deixou hoje o país com o cancelamento da condenação e sua absolvição, um mês depois da retratação da suposta vítima, informou a Embaixada americana.

EFE |

Pequenos grupos de manifestantes se reuniram em frente à sede diplomática para protestar contra a nova decisão judicial e exigir que o Governo suspenda seus laços militares com Washington.

O Tribunal de Apelações das Filipinas ordenou ontem a libertação do cabo Daniel Smith, de 24 anos, após anular sua sentença à prisão perpétua de 2005, por considerar provado agora que não houve crime, mas uma relação íntima consentida entre ele e a filipina Suzette Nicolas.

A decisão aconteceu um mês depois de Nicolas se retratar da declaração no julgamento, e admitir que "talvez" não houve um estupro.

"Minha consciência me diz que talvez fui tão amável e íntima com Daniel Smith que o levei a pensar que queria manter relações sexuais com ele. Ou ambos nos deixamos levar", afirmou Nicolas na carta que enviou a um tribunal.

O caso provocou uma crise nas estreitas relações entre os Estados Unidos e sua ex-colônia, que em 1992 optou pelo fechamento e desmantelamento das bases militares americanas de Subic e Clark, após diversas denúncias de abusos contra mulheres.

Atualmente, os EUA têm soldados desdobrados no sul das Filipinas, em missão de apoio para a luta antiterrorista. EFE csm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG