Militar americano acusado de estupro no Japão será julgado por corte marcial

Tóquio, 25 abr (EFE).- Um militar americano que foi detido em fevereiro na ilha de Okinawa (sul do Japão) pela suposta violação de uma estudante japonesa de 14 anos será julgado por uma corte marcial, informou hoje a agência local Kyodo.

EFE |

O Corpo de Marines dos Estados Unidos indicou hoje que o fuzileiro Tyrone Hadnott, de 38 anos, recebeu várias acusações da justiça militar, entre elas a violação e seqüestro de uma menor de 16 anos.

A denúncia da menina provocou a detenção de Hadnott em 11 de fevereiro, mas posteriormente ela retirou as acusações, o que fez com que o fuzileiro fosse entregue pelas autoridades japonesas aos responsáveis militares dos EUA.

Apesar de a jovem ter retirado a acusação, as autoridades militares dos Estados Unidos decidiram submeter Hadnott à corte marcial, mas ainda não informaram quando ele será julgado.

Hadnott, que nega as acusações, tinha sido designado para a base de Camp Courtney de Okinawa, a província mais ao sul do Japão, que acolhe a metade dos 40 mil soldados americanos desdobrados no país asiático.

A denúncia gerou fortes manifestações de protesto em Okinawa que lembraram as de 1995 contra a violação de uma menina de 12 anos por três militares americanos.

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, expressou ao Governo japonês seu pesar pelo ocorrido durante uma viagem oficial ao Japão no final de fevereiro. EFE psh/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG