Militantes somalianos libertam diretor da ONU, dizem fontes

MOGADISHU (Reuters) - Militantes somalianos libertaram o chefe local da agência de refugiados da ONU em Mogadishu nesta quarta-feira, depois de o terem mantido como refém por dois meses, disseram fontes de segurança. Hassan Mohammed Ali, o diretor da Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), foi libertado na tarde de quarta-feira, disse um membro da ONU à Reuters. Ele foi sequestrado no dia 21 de junho e mantido refém até hoje, quando foi solto incondicionalmente. Ele está em perfeito estado de saúde.

Reuters |

Sequestros são comuns no país, onde um governo interino e seus aliados militares etíopes têm batalhado contra insurgentes islâmicos desde o início do ano.

Um jornalista canadense e um fotógrafo australiano, ambos freelancers, foram sequestrados no sábado na mesma área onde Ali foi raptado, em Elasha, a sudoesta da capital.

(Reportagem de Abdi Sheikh e Ibrahim Mohammed)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG