Milícia pró-Governo da RDC quer participar de reunião em Nairóbi

Kinshasa, 8 dez (EFE).- A guerrilha pró-governamental dos Mai-Mai reivindica sua participação no encontro que se inaugura hoje em Nairóbi entre o Governo de Kinshasa e os grupos armados que atuam na República Democrática do Congo (RDC).

EFE |

A reunião de Nairóbi incluirá o Congresso Nacional para a Defesa do Povo (CNDP), chefiado por Nkunda, a principal guerrilha da RDC que enfrenta o Exército congolês desde 1998 e que forçou a fuga de mais de 250 mil pessoas na região oriental de Kivu Norte.

Em declaração aos meios de comunicação, os Mai-Mai, que enfrentam os combatentes do CNDP no leste da RDC, opinam que devem estar envolvidos na resolução da crise, como os demais grupos que participam das negociações na capital queniana.

"Temos armas e não podemos ser menosprezados nestas reuniões onde se debate a crise", sustentam os Mai-Mai.

O Governo de Kinshasa declarou que, além do CNDP, discutirá de forma separada com todos os grupos armados do país que também viajarão para Nairóbi.

O ministro de Comunicação e porta-voz do Governo, Lambert Mende, deixou claro a respeito que as conversas estão dentro do marco do programa de paz "Amani", assinado em janeiro com todos os grupos armados do país.

Por sua parte, o CNDP menosprezou a participação de qualquer outro grupo nas conversas ao descrever a reunião como um "encontro bilateral com o Governo para esclarecer algumas dúvidas, passagem prévia a umas verdadeiras negociações de paz".

Segundo o porta-voz militar da Missão da ONU no Congo (Monuc), Jean-Paul Dietrich, o CNDP advertiu que abandonará o encontro que Nairóbi se o Governo mantiver sua vontade de incluir outros grupos armados que atuam no leste do país. EFE py-st/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG