Miliband: G20 de Londres marcará o fim do unilateralismo dos EUA

O encontro de cúpula do G20 que em 2 de abril reunirá em Londres as potências mundiais e os principais países emergentes marcará o fim de uma época, a do unilateralismo dos Estados Unidos, afirmou o chanceler britânico David Miliband.

AFP |

"Em 2 de abril terminará uma época, a do unilateralismo, e teremos a grande oportunidade de começar a refletir, discutir e enfrentar os grandes assuntos internacionais, com todos no mesmo plano", declarou Miliband em uma entrevista ao jornal italiano Il Corriere della Sera.

"Estou seguro de algo: Obama não virá a Londres para impor as ideias e os programas de uma superpotência", acrescentou o ministro britânico das Relações Exteriores.

"Virá falar, compreender e entrar em acordo com a Europa e com os países em desenvolvimento sobre as estratégias mais eficazes para reativar a demanda, coordenar as políticas macroeconômicas, voltar a estimular o comércio internacional, voltar a dar oxigênio aos países pobres e enfrentar o problema do meio ambiente".

"Chegou a hora de um multilateralismo aberto. Este é o verdadeiro significado do próximo G20".

De acordo com Miliband, a regulação financeira e a coordenação das políticas econômicas serão objeto de um acordo entre os países em Londres e constituirão os dois pilares do compromisso dos governantes.

O G20 reúne os membros do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália e Japão), além de África do Sul, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, China, Coreia do Sul, Índia, Indonésia, México, Rússia, Turquia e União Europeia (UE).

ema/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG