Milhares velam líder de extrema-direita na Áustria

Milhares de pessoas, entre eles políticos importantes como o presidente da Áustria, Heinz Fischer, e o chanceler do país, Alfred Gusenbauer, participaram neste sábado do funeral do político de extrema-direita Joerg Haider, que morreu há uma semana em um acidente automobilístico. O austríaco vai ser cremado na cidade de Klagenfurt, no Estado de Caríntia, sua base eleitoral, e suas cinzas vão ser levadas para uma capela na região em que morava, nos arredores da cidade.

BBC Brasil |

O luxuoso funeral começou com uma procissão de veículos que levou o corpo da Parlamento da cidade até uma praça, onde o corpo foi velado ao som de música coral.

Até adversários políticos de Haider participaram da cerimônia, em uma demonstração de respeito.

No entanto, em vida, o político nunca foi unanimidade. A retórica xenófoba que usava chegou a levar um dos principais intelectuais da Áustria a classificá-lo de "fascista", em um artigo publicado por um respeitado jornal do país.

As circunstâncias da morte de Haider também são motivo de intermináveis discussões no país, segundo correspondentes.

Ele dirigia sozinho, duas vezes acima do limite de velocidade, quando seu carro saiu da estrada.

Exames de perícia comprovaram ainda que o político estava acima do limite legal para álcool.

Nazismo
Haider se tornou o líder do Partido da Liberdade da Áustria em 1986.

Em 1991, seu mandato como governador da Caríntia foi interrompido depois que ele fez comentários favoráveis às políticas da Alemanha nazista.

Ele foi reeleito para o cargo em 1999 e 2003.

Em 2000, a União Européia impôs sanções contra a Áustria em protesto contra a participação de seu partido no governo do país.

Em 2002, o governo dos Estados Unidos enviou uma nota ao governo da Áustria lamentando um encontro entre Haider, que já era governador da Caríntia, e Saddam Hussein, em Bagdá.

Em 2005, Haider fundou o partido Aliança pelo Futuro da Áustria que conseguiu 11% dos votos nas eleições de setembro. Com a votação, o partido se tornou a quarta maior força política do país.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG