Escândalos de corrupção, índice alto de desemprego e incertezas com a economia descontentam a população

Milhares de pessoas participaram de uma manifestação contra Silvio Berlusconi em Roma neste sábado, dias após um voto positivo de confiança no Parlamento a favor do primeiro-ministro italiano. A votação poderia ter acionado eleições antecipadas, caso o resultado fosse desfavorável ao premiê.

O mais recente protesto contra Berlusconi alimenta o clima hostil na política italiana que tem sido ofuscado por meses de disputas internas no partido governista de centro-direita.

O desentendimento entre Berlusconi e seu ex-aliado Gianfranco Fini gerou críticas de grupos incluindo empresários, sindicatos e membros da Igreja Católica, que acusaram os líderes políticos da Itália de ignorar os verdadeiros problemas do país.

Milhares protestam nas ruas de Roma contra o primeiro-ministro Silvio Berlusconi
AP Photo/Andrew Medichini
Milhares protestam nas ruas de Roma contra o primeiro-ministro Silvio Berlusconi

Uma série de escândalos de corrupção envolvendo pessoas ligadas ao primeiro-ministro, um índice de desemprego entre jovens atingindo mais de 25%, o encolhimento dos gastos do governo e as incertezas sobre as perspectivas da economia contribuíram para esse sentimento amargo.

"Realmente é de revirar o estômago, todas as essas coisas, essa máfia na política italiana. Já tivemos o suficiente", disse Valéria Leggeri, uma manifestante da marcha no sábado.

Manifestantes usaram bonecos durante o protesto contra Berlusconi
AP Photo/Andrew Medichini
Manifestantes usaram bonecos durante o protesto contra Berlusconi
Manifestantes, muitos vestidos de roxo ou "Popolo Viola", um movimento mobilizado por grupos de redes sociais, gritavam pedindo a renúncia do premiê, mostrando imagens que satirizavam Berlusconi e seus ministros.

O futuro do governo de centro-direita continua na balança após o voto de confiança na quarta-feira. A aprovação ocorreu apenas com o consenso de um grupo rebelde de parlamentares fiéis a Fini, mas muitos analistas esperam que haja um novo conflito.

As manifestações de sábado tiveram a adesão de partidos da oposição incluindo o partido Itália dos Valores, que exigia novas eleições o mais rápido possível.

"O governo está morto, já entendemos isso. Fini deveria administrar os últimos procedimentos", disse Stefano Pedica, um senador do partido Itália dos Valores.

"Queremos que Fini aceite sua responsabilidade e diga: Basta, precisamos de novas eleições", disse.

(Reportagem de Antonio Denti)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.