Milhares protestam contra ofensiva militar no Sri Lanka

Genebra, 4 fev (EFE).- Milhares de tâmeis se reuniram hoje em frente à sede europeia das Nações Unidas para exigir o fim do genocídio no norte do Sri Lanka, uma manifestação que coincide com o 61° aniversário da independência desse país.

EFE |

Cerca de cinco mil pessoas pediram a intervenção da ONU para salvar a população tâmil de "uma segunda Gaza", em referência à recente ofensiva militar de Israel contra o território palestino.

Segundo os participantes do protesto, convocado pela Associação de Jovens Tâmeis na Suíça, cerca de 470 mil civis são reféns dos combates no norte do Sri Lanka, onde o Exército estaria bombardeando a população.

"Em um futuro muito próximo, milhares de pessoas perderão a vida se não agirmos imediatamente", afirma um panfleto distribuído durante a manifestação.

As Nações Unidas denunciaram hoje a morte de 52 civis nos combates registrados como parte da violenta ofensiva do Exército contra a guerrilha dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE).

Por causa da escalada do conflito, Estados Unidos, Japão, União Europeia (UE) e Noruega pediram ontem aos rebeldes que abandonem as armas e negociem com o Governo o fim da guerra civil para evitar mais derramamento de sangue.

Os "tigres tâmeis" enfrentam o Governo do Sri Lanka há mais de 25 anos, a fim de proclamar um Estado independente no norte e leste do país, onde predomina sua etnia (tâmil), de religião hindu, frente à cingalesa, majoritária no resto da ilha. EFE is/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG