Milhares fazem greve na Alemanha contra recuo na venda da Opel

Milhares de trabalhadores da montadora europeia Opel realizaram nesta quinta-feira um greve contra a decisão da General Motors (GM), da qual é subsidiária, de cancelar a venda de suas operações europeias. Houve paralisações nas quatro fábricas da montadora na Alemanha - onde cerca de 25 mil pessoas trabalham para a empresa.

BBC Brasil |

Muitos trabalhadores se reuniram para um protesto em frente ao quartel-general da Opel, na cidade alemã de Ruesselsheim.

Reuters

Funcionários fazem manifestação contra a GM



Na terça-feira, a americana GM anunciou que desistiu de vender a maior parte de suas ações da Opel e da Vauxhall (subsidiária da GM na Grã-Bretanha) a um consórcio formado pela fabricante de autopeças canadense Magna e pelo banco russo Sberbank.

No acordo, os trabalhadores da Opel receberam a promessa de que nenhuma fábrica seria fechada.

Mas com o cancelamento da venda, o sindicato dos metalúrgicos alemão IG afirma temer o fechamento de unidades no país e a perda de mais postos de trabalho do que teria ocorrido se a montadora tivesse seguido adiante com o acordo com a Magna.

'Lição para o futuro'

A GM afirma planejar cortar cerca de dez mil empregos como parte de seu plano para reestruturar as operações europeias, mas não afirmou onde ou quando os cortes irão ocorrer, nem se pretende ou não fechar fábricas.

No entanto, a GM afirma que seu plano é similar, embora não idêntico, ao previsto no entendimento anterior.

A Opel tem sede na Alemanha, mas opera fábricas em outros países europeus, e emprega cerca de 50 mil pessoas no continente.

O cancelamento do acordo foi criticado pelo primeiro-ministro russo, Vladimir Putin.

"Esta retirada no último minuto não fere nossos interesses, mas colocando de forma branda, reflete a maneira peculiar como nossos parceiros americanos lidam com seus colegas", afirmou ele.

"Essa é uma lição que aprendemos e lembraremos dela no futuro", completou.

A decisão, entretanto, foi elogiada por trabalhadores da GM na Grã-Bretanha e Polônia.

Leia mais sobre  General Motors

    Leia tudo sobre: general motorsopeltrabalhador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG