Milhares de venezuelanos vão às ruas para protestar contra lei de educação

Milhares de venezuelanos participaram de manifestações em Caracas neste sábado, num movimento de repúdio à nova lei de educação, promulgada há uma semana.

AFP |

Como na semana passada, o protesto da oposição foi reprimido e dispersado com bombas de gás lacrimogêneo das forças de segurança, quando alguns manifestantes tentavam se aproximar da sede da Assembleia Nacional, que estava protegida por um cordão de isolamento.

As autoridades, por outro lado, autorizaram a realização de uma marcha pró-governo, que se concentrou nos arredores do parlamento.

A lei de educação, aprovada na semana passada após uma única leitura na Assembleia Nacional venezuelana, é considerada pelos opositores do governo um instrumento de "doutrinação", que outorga poderes "onipotentes" ao Estado.

Esta é "uma resistência que se inspira na Constituição. O povo da Venezuela respondeu. Esta é uma verdadeira mostra de unidade", declarou o prefeito metropolitano de Caracas, o opositor Antonio Ledezma.

A maioria dos manifestantes carregava bandeiras venezuelanas e cartazes com dizeres como "Os corruptos não podem nos educar", "Não me calo pela tua lei cubana" ou "Quero estudar o que eu quiser".

"O governo quer controlar tudo, incluindo a mente de nossos filhos, mas é incapaz de ter uma educação pública de qualidade", denunciou Julio Borges, coordenador do partido opositor Primeiro Justiça (social-cristão).

jt-bl/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG