Milhares de pessoas pedem em Los Angeles uma Cuba livre dos Castro

Fernando Mexía. Los Angeles (EUA), 29 mar (EFE).- Milhares de pessoas marcharam neste domingo pela cidade de Los Angeles para pedir pelas liberdades em Cuba em um ato protagonizado pelo ator Andy García e a blogueira Yoani Sánchez e marcado por uma discussão com um grupo pró castrista.

EFE |

Entre gritos de "respeito aos direitos humanos" e "liberdade, liberdade", dissidentes cubanos e simpatizantes do movimento das Damas de Branco de Cuba se reuniram no Echo Park, para mostrar sua solidariedade com que luta na ilha caribenha pela libertação dos presos políticos.

"Foi muito emocionante", disse à Agência Efe García. "Já chegou a hora de reconhecer o que está acontecendo em Cuba e tomara que com este apoio possamos chegar no final, que é a liberdade em Cuba", comentou o artista, acompanhado pelo apresentador de televisão George López e a atriz cubano-venezuelana María Conchita Alonso.

A manifestação contou com a participação do ex-comandante da revolução cubana Huber Matos, de 92 anos, agora no exílio, que criticou duramente o Governo da ilha perante o aplauso da multidão.

"Os Castro tiveram um sucesso tremendo em vender a mentira como verdade para o mundo inteiro, a revolução cubana chegou ao poder com o compromisso de restabelecer a liberdade e os direitos fundamentais do povo de Cuba", declarou Matos, que esteve preso na ilha caribenha e julgado por traição e sedição.

"Castro se entronizou no poder, ele e seu irmão transformaram Cuba em um satélite da URSS e o que fizeram é destruir a nação, humilhar todo o possível o povo de Cuba, destruir a economia, obrigar o povo a mentir, a se prostituir", disse.

Um discurso que um grupo de pessoas tentou alterar no local do início da manifestação, de onde ondearam bandeiras com a imagem do Che Guevara e lançaram mensagens favoráveis ao regime instaurado por Fidel Castro, o que esquentou os ânimos dos manifestantes.

"Não somos contra que protestem, porque os protestos são válidos, mas sim que usem nossa bandeira com a foto de um criminoso", comentou zangado um dos participantes do protesto. "Seria igual expor uma bandeira de Hitler em um evento judeu", assegurou outro irritado.

A tensão chegou ao ponto de vários dissidentes cubanos chegarem a entrar em conflito com os pró castristas de quem tiraram e rasgaram as bandeiras, momento no qual a Polícia teve que intervir.

"Sempre há gente que vem para incomodar, mas a verdade ganha sempre, e esta causa é muito mais poderosa que uma causa ignorante", comentou Andy García à Efe.

Depois, a manifestação se desenrolou em silêncio e sem incidentes ao redor do lago de Echo Park e terminou com uma ligação telefônica à conhecida blogueira cubana Yoani Sánchez, que se dirigiu aos presentes através de um telefone celular.

"Isto está nos ajudando a superar estes dias difíceis que estivemos vivendo há um mês e me alegra muito que estejamos chegando ao fim de um ciclo de divisão e de desconfiança, um tempo no qual quiseram nos desunir, no qual quiseram nos catalogar como cubanos de dentro e de fora", comentou Sánchez.

A criadora do blog "geração Y", transformado em um ícone a favor da democracia em Cuba, se mostrou otimista sobre a possibilidade de mudanças de abertura em Cuba.

"Tenho a esperança de que não vai ser só para meus filhos e para meus netos, vamos viver nós mesmos. Espero que algo se movimente nessas prisões, se libertem os presos de consciência e que nunca mais alguém vá para a prisão por pensar diferente, um abraço grande", declarou Sánchez.

A manifestação, que uniu-se às desta semana em Miami, Nova York e Madri, foi organizada pela associação juvenil Raízes de Esperanza e terminou com a interpretação dos hinos nacionais de Cuba e dos EUA, além de um pedido para recolher assinaturas a favor das Damas de Branco na página de internet changeincuba.com. EFE fmx/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG