Milhares de pessoas pedem a renúncia do primeiro-ministro da Tailândia

Bangcoc, 20 jun (EFE).- Cerca de 10 mil pessoas protestaram hoje para pedir a renúncia do primeiro-ministro da Tailândia, Samak Sundaravej, diante da sede do Governo em Bangcoc após a Polícia se retirar para evitar confrontos.

EFE |

Cerca de 8 mil agentes de segurança armados com canhões de água e com gás lacrimogêneo isolaram desde as primeiras horas do dia a área de acesso à sede do Governo com a intenção de impedir que a plataforma civil Aliança Popular para a Democracia (PAD, sigla em inglês) se desvie do percurso autorizado.

Os observadores políticos temiam que, após 26 dias consecutivos de manifestações, o protesto de hoje acabou em uma batalha campal, mas no final a Polícia cedeu e permitiu a passagem da manifestação.

Entre os manifestantes havia pessoas com tacos de beisebol, paus, barras de ferro e capacetes, informa a PAD, para se proteger dos corpos de segurança, embora fosse uma mobilização pacífica.

O ex-primeiro-ministro Chavalit Yongchaiyudh afirmou que, se o protesto desembocasse em violência, apenas um golpe de Estado poderia restabelecer a normalidade.

Yongchaiyudh, general reformado e chefe do Executivo em 1996 e 1997, opinou que o atual Governo tem três alternativas nas atuais circunstâncias: convocar eleições antecipadas, que a coalizão governante substitua Sundaravej ou incorpore a oposição à aliança de Governo.

O primeiro-ministro tailandês convocou uma reunião de urgência, para a qual chamou o diretor da Polícia e o chefe das Forças Armadas, esta tarde no Clube do Exército. EFE fmg/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG