Tempestades já deixaram mais de mil mortos e 619 desaparecidos

Milhares de pessoas abandonaram seus lares na província nordeste de Jilin, diante da previsão meteorológica que indica fortes chuvas nos próximos dias e depois de as tempestades terem deixado mais de mil mortos e 619 desaparecidos.

Segundo Wang Wei, deputado desta província, "pelo menos 27.000 pessoas das proximidades do rio Songhua devem ser deslocadas devido às chuvas que são esperadas até a sexta-feira", informou a agência oficial "Xinhua".

O rio Songhua, o maior do nordeste chinês, cobre 1.900 quilômetros, abastece de água cerca de 4,3 milhões de pessoas e é o principal subafluente do rio Heilong, que divide a fronteira entre China e Rússia.

Wang acrescentou que a retirada em massa começou ontem e por enquanto "pelo menos 18.000 pessoas foram transferidas a um lugar seguro, enquanto jovens aldeães permanecem na área para ajudar a fortalecer as margens do rio".

Em Jilin, 74 pessoas morreram e 71 desapareceram nos últimos dois meses, segundo o departamento de Assuntos Civis local. Desde junho, as chuvas torrenciais afetaram quase 4,6 milhões de pessoas nesta província, e forçaram o deslocamento de mais de 784.000.

Além disso, a água destruiu 64.000 casas e danificou outras 265.000, além de acabar com as colheitas de 1,25 milhão de hectares de terra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.