Washington, 9 out (EFE).- Milhares de pessoas habilitadas a votar em pelo menos seis estados cruciais para as próximas eleições presidenciais dos Estados Unidos não puderam se registrar, informou hoje o jornal The New York Times.

O diário, que afirmou ter revisado os censos estaduais, acrescentou que essas pessoas foram impedidas de se registrar, algo que aparentemente "viola a lei federal".

A eleição presidencial nos EUA não é decidida pelo voto direto, mas sim por colégios eleitorais onde cada Estado é representado por um número de delegados proporcional à sua população.

As eleições passadas e as pesquisas atuais indicam que alguns Estados podem ser cruciais para a escolha do novo presidente, já que seus eleitores ainda não demonstraram preferência clara pelo democrata Barack Obama nem pelo republicano John McCain.

Os impedimentos para o registro de eleitores, segundo o jornal, ocorreram nos estados de Colorado, Indiana, Ohio, Michigan, Nevada e Carolina do Norte.

"Estas ações não parecem coordenadas por um ou outro partido nem são conseqüência de uma infração proposital às regras por parte dos funcionários eleitorais", acrescentou.

"Aparentemente, são resultado de erros no manejo de registros e antecedentes dos eleitores", continua.

Estes erros podem causar problemas no pleito. A eleição presidencial de 2000 foi decidida após uma apuração de um mês e meio devido a recontagens de poucos milhares de votos na Flórida.

Também poderia haver problemas no dia da eleição, em 4 de novembro, acrescentou o jornal.

"A exclusão dos registros de eleitores nesses seis estados poderia levar as pessoas excluídas das listas a se apresentarem para votar e serem rejeitadas pelos funcionários eleitorais, o que geraria confusão, demora e disputa", concluiu o jornal. EFE jab/fh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.