Milhares de candidatos iniciam campanha para eleições municipais de outubro

Eduardo Davis Brasília, 6 jul (EFE).- Centenas de milhares de candidatos a prefeitos e vereadores foram às ruas hoje no primeiro dia da campanha para as eleições municipais que acontecerão em 5 outubro, um laboratório para o pleito de 2010.

EFE |

Os brasileiros vão escolher os novos governantes para os 5.563 municípios do país. As autoridades eleitorais calculam que cerca de 400 mil candidatos se inscreveram para estas eleições.

O prazo para registro de candidaturas terminou às 19h deste sábado, e agora a Justiça Eleitoral de cada município vai verificar se os que aspiram a um cargo na administração pública cumprem todas as condições estabelecidas pelas leis.

Em São Paulo, os candidatos começaram cedo suas atividades, buscando contato direto com os eleitores.

A ex-ministra do Turismo Marta Suplicy (PT), que já foi prefeita de São Paulo entre 2001 e 2005, deu início à sua campanha de reeleição ao participar de uma missa campal no bairro Ermelino Matarazzo, em visita à Festa das Nações.

Marta lidera as pesquisas de intenções de voto com 38% da preferência do eleitorado, segundo pesquisa do Datafolha.

Geraldo Alckmin (PSDB) vem em segundo lugar, com 31% de apoio dos paulistanos. Ele percorreu hoje diferentes bairros populares da cidade, onde se encontrou com seus partidários.

Tanto Marta quanto Alckmin são cotados em seus respectivos partidos para concorrer à sucessão de Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições presidenciais de 2010.

O atual prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), está em terceiro, com 13%.

O nome de Kassab dividiu o PSDB, que acabou se decidindo por lançar Alckmin ao invés de apoiar o prefeito paulistano, como gostaria o governador do Estado, José Serra.

No Rio de Janeiro, o apoio do presidente pode se dividir entre o candidato do PT, Alessandro Molon, e do PRB - partido do vice-presidente José Alencar -, o bispo Marcelo Crivella.

Outra candidata de esquerda é a ex-deputada Jandira Feghali (PCdoB), cujo partido também faz parte da base aliada do Governo federal.

Entre outros importantes nomes das eleições cariocas estão Solange Amaral (DEM), apoiada pelo atual prefeito César Maia. Já Eduardo Paes é o candidato do PMDB, legenda à qual pertence o governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral Filho.

Em Belo Horizonte, Lula deu respaldo à aliança entre o PT e o PSDB em torno da candidatura de Márcio Lacerda, do PSB.

Entretanto, o acordo proposto pelo governador mineiro Aécio Neves e o atual prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, foi rejeitado pelo diretório nacional petista.

Assim, aparentemente, ficou estabelecido que o PSDB deve dar apoio informal à Lacerda, enquanto o PT formará aliança com o PSB, inclusive indicando o vice da chapa.

Lula, a princípio, deve se abster de participar ativamente das campanhas em algumas capitais, tentando não criar um desgaste com os partidos aliados nacionalmente e que são adversários em âmbito municipal.

Já a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, também uma possível candidata à sucessão de Lula na Presidência, disse que vai participar ativamente da campanha, pois como ela mesmo disse essa semana, "também é uma cidadã". EFE ed/rb/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG