Milhares de californianos saem de novo às ruas para pedir casamento gay

Fernando Mexía Los Angeles (EUA.), 8 nov (EFE).

EFE |

- Milhares de pessoas marcharam hoje pelo quarto dia consecutivo no sul da Califórnia para protestar contra uma medida aprovada esta semana que proíbe a celebração de casamento entre pessoas do mesmo sexo neste estado.

A Proposta 8, que solicitava uma emenda à constituição da Califórnia para definir o casamento como um enlace entre um homem e uma mulher, venceu com 52,5% dos votos em um plebiscito realizado junto com as eleições presidenciais na última terça-feira.

A manifestação colocou nas ruas milhares de simpatizantes com a luta da comunidade gay por seu direito de se casar e, segundo os organizadores, com a participação do primeiro casal gay que se casou na Califórnia, assim como famosos e pessoas vindas de diferentes condados do sul do estado.

Esta é uma nova mobilização na qual se volta a pedir "igualdade de direitos para todos", como aconteceu nos protestos que aconteceram desde quarta-feira.

A tensão entre os indignados manifestantes, frustrados ao ver que a maioria de seus moradores se pronunciou a favor de impedir o casamento gay, levou em duas ocasiões a pequenos distúrbios com a Polícia.

Na quarta-feira à noite as forças de segurança detiveram sete pessoas em Los Angeles, enquanto na sexta-feira foram 15 detenções em Long Beach, depois que um pequeno grupo de pessoas se negou a se dispersar no final da manifestação.

"Esta foi uma semana incrivelmente difícil para os californianos que se decepcionaram com a aprovação da Proposta 8. Sentimos um profundo desagrado nesta derrota, mas temos que continuar em frente", explicaram em comunicado conjunto várias organizações de gays e lésbicas.

Ao ter caráter vinculativo, esta proposta obrigará as autoridades a ilegalizar os casamentos entre homossexuais que foram feitos desde o mês de junho, depois que a Corte Suprema do estado emitiu sentença dizendo ser inconstitucional negar o direito ao casamento por questão do sexo dos noivos.

O escritório do Registro Civil do condado de Los Angeles deixou na quarta-feira de outorgar formulários de casamento para pessoas do mesmo sexo.

A implicação das instituições religiosas neste estado durante a campanha para proibir os casamentos gays, concentrou a ira de muitos manifestantes sobre algumas igrejas.

Na quinta-feira passada mais de 2.000 pessoas protestaram ao redor do maior templo mórmon de Los Angeles com cartazes com mensagens como "Jesus teria votado não à Proposta 8" ou "Jesus nos salve de seus seguidores", enquanto a Polícia protegia as entradas do templo.

Um dado significativo foi o apoio à Proposta 8 das comunidades negras, tradicionalmente liberais e com um passado de luta pela igualdade de direitos civis.

"As pessoas negras vão à igreja, provavelmente mais que a população caucásica, e as igrejas que freqüentam tendem a ser muito tradicionais", explicou o pastor afro-americano Madison Shockley da igreja Peregrinos Unidos de Jesus Cristo em declarações ao jornal "Los Angeles Times".

A expectativa gerada pelas eleições mobilizou quase todos os eleitores afro-americanos, que foram às urnas em apoio a Barack Obama, um aumento de eleitores desta comunidade que mais tarde acabou prejudicando os interesses dos homossexuais na Califórnia.

EFE fmx/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG