Greve na Argentina tem 400 estradas bloqueadas http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/04/01/supermercados_e_acougues_de_buenos_aires_ficam_sem_carne_1251353.htmlSupermercados e açougues de Buenos Aires ficam sem carne http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2008/04/01/ruralistas_rejeitam_novo_apelo_de_cristina_kirchner_1251224.htmlRuralistas rejeitam novo apelo de Cristina Kirchner http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2008/03/28/entenda_os_protestos_do_setor_rural_na_argentina_1246843.htmlEntenda os protestos do setor rural na Argentina" / Greve na Argentina tem 400 estradas bloqueadas http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/04/01/supermercados_e_acougues_de_buenos_aires_ficam_sem_carne_1251353.htmlSupermercados e açougues de Buenos Aires ficam sem carne http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2008/04/01/ruralistas_rejeitam_novo_apelo_de_cristina_kirchner_1251224.htmlRuralistas rejeitam novo apelo de Cristina Kirchner http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2008/03/28/entenda_os_protestos_do_setor_rural_na_argentina_1246843.htmlEntenda os protestos do setor rural na Argentina" /

Milhares de argentinos saem às ruas em apoio à presidente Cristina Kirchner

BUENOS AIRES - Dezenas de milhares de argentinos se manifestaram, nesta terça-feira, em apoio à presidente Cristina Kirchner e contra a paralisação dos produtores rurais iniciada há 20 dias, que provoca desabastecimento nos supermercados e uma crise política. http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/04/01/greve_agropecuaria_completa_20_dias_na_argentina_sem_sinais_de_solucao_1251719.html target=_topGreve na Argentina tem 400 estradas bloqueadas http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/04/01/supermercados_e_acougues_de_buenos_aires_ficam_sem_carne_1251353.htmlSupermercados e açougues de Buenos Aires ficam sem carne http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2008/04/01/ruralistas_rejeitam_novo_apelo_de_cristina_kirchner_1251224.htmlRuralistas rejeitam novo apelo de Cristina Kirchner http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2008/03/28/entenda_os_protestos_do_setor_rural_na_argentina_1246843.htmlEntenda os protestos do setor rural na Argentina

Redação com agências |

AP

AP

Argentinos mostra m seu apoio a Cristina Kirchner em frente a Casa Rosada

Grupos de sindicalistas, associações de bairro e ativistas de direitos humanos se dirigiram ao palácio presidencial, enquanto os produtores rurais mantêm bloqueios de estradas em todo o país contra um aumento no imposto sobre a exportação de soja.

Falando a uma multidão que agitava bandeiras e lhe aplaudia, Cristina pediu aos agricultores que encerrem seu protesto. 'Não façam mais mal ao povo, suspendam os bloqueios para que os argentinos possam receber comida', afirmou.

A presidente comparou as entidades dos ruralistas com os empresários que em 1976 abriram o caminho para o estabelecimento da ditadura militar mais sangrenta da história do país.

'As mesmas organizações que hoje se orgulham de levar adiante o desabastecimento do povo promoveram também um locaute patronal em fevereiro de 76', disse Cristina.

Popularidade do governo

O ato é uma demonstração de força para o governo, que há uma semana enfrentou sua primeira grande manifestação contrária, quando milhares de argentinos de classe média bateram panelas nas ruas da capital em apoio aos agricultores.

Na segunda-feira, Cristina fez algumas concessões aos produtores rurais, mas descartou rever o imposto polêmico. Ela ofereceu isenções fiscais para pequenos exportadores de soja e semente de girassol e uma compensação para produtores distantes dos portos.

AP
AP
Produtores bloqueiam estradas e impedem circulação de alimento
Os dirigentes ruralistas disseram que isso não basta e anunciaram que a paralisação continua pelo menos até a quarta-feira.

Os bloqueios rodoviários provocam escassez de carne em Buenos Aires. Há problemas também no abastecimento de frango, laticínios, frutas e legumes.

Algumas empresas exportadoras estão violando seus compromissos comerciais porque não conseguem embarcar seus produtos para a China e Europa. Dezenas de navios graneleiros esperam vazios nos portos.

Entenda o caso

A rebelião no setor da agricultura começou quando o governo anunciou um aumento de 35% a 44% nos impostos sobre as exportações de soja e seus derivados, o que representa 24% das vendas externas da Argentina.

O novo imposto tem alíquotas variáveis, mas que ficam em torno de 40 por cento do preço da soja exportada, acima da alíquota fixa de 35 por cento do sistema anterior.

O ministro que foi um dos criadores da taxa que incide sobre as exportações de soja, chamou os grevistas de irresponsáveis, dizendo que os protestos em Buenos Aires "foram montados por dirigentes que não estão ideologicamente de acordo com o governo".

Cristina diz que a elevação do imposto sobre a exportação de soja ajuda no controle da inflação e redistribui riquezas.

A Argentina é o terceiro maior exportador de soja e um importante fornecedor de milho, carne e trigo.

(*Com informações da Reuters, AFP e Agência Estado)

Leia mais sobre: Argentina

    Leia tudo sobre: argentina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG