Cerca de mil muçulmanos indonésios realizaram uma manifestação neste domingo em frente ao Palácio Presidencial pedindo ao chefe de Estado, Susilo Bambang Yudhoyono, que decrete a dissolução de um aberrante grupo islâmico, contou à AFP uma testemunha.

O grupo Ahmadiyah, que conta com milhares de membros na Indonésia, foi declarado "aberrante" em janeiro pelo Conselho Indonésio de Ulemás (MUI), principal autoridade islâmica da Indonésia.

Um grupo do governo recomendou na semana passada que o grupo Ahmadiyah fosse dissolvido devido aos seus princípios: acreditam que Maomé não foi o profeta, o que vai de encontro à crença fundamental do Islã.

bs/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.