Microsoft vai fechar rede de envio global de lixo virtual

A gigante de informática Microsoft vai tentar desligar uma rede de computadores que seria responsável pelo envio de mais de 1,5 bilhão de mensagens diárias de lixo eletrônico.

BBC Brasil |

A empresa foi autorizada por um tribunal americano a fechar 277 domínios da internet que, segundo a Microsoft, seriam os controladores de uma rede botnet, termo que no jargão dos hackers, significa uma série de computadores infectados e controlados por vírus.

O fechamento dos domínios da botnet Waledac deve, segundo a empresa americana, liberar 90 mil computadores particulares que estariam enviando o chamado spam sem o conhecimento dos proprietários.

Um estudo recente da Microsoft descobriu que entre 3 e 21 de dezembro, "aproximadamente 651 milhões de e-mails de spam provenientes da Waledac foram enviados a contas de Hotmail". A Waledac seria uma das dez maiores botnets dos Estados Unidos.

Geralmente, as máquinas usadas neste tipo de rede pirata são infectadas por vírus ou chamados "vermes" sem que os seus proprietários saibam.

A Microsoft afirma que, embora na prática já tenha fechado a rede, milhares de computadores ainda podem estar infectados e sugere que internautas usem programas antivírus.

A decisão judicial foi parte de uma operação batizada de "b49", que, de acordo com a Microsoft, durou meses e envolveu a agência de inteligência Shadowserver, a Universidade de Washington e a empresa de segurança cibernética Symantec.

A ordem do juiz de um tribunal em Alexandria, no estado americano de Virgínia, obriga a empresa Verisign, que administra o domínio .com a fechar os domínios envolvidos temporariamente. A Microsoft classificou a decisão de "marco legal".

"Essa ação cortou rápida e eficientemente o tráfego para a Waledac no nível do domínio registrado .com, comprometendo a conexão entre os centros de comando e controle da botnet e seus milhares de computadores zumbis em todo o mundo."

Leia mais sobre internet

    Leia tudo sobre: internet

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG