Microsoft quer reduzir retenção de endereço de IP para seis meses

(embargada até 22h01 de Brasília desta segunda) Bruxelas, 9 dez (EFE) - A Microsoft assegurou hoje estar preparada para reduzir o tempo de retenção de endereços de IP (protocolo de internet) dos usuários para seis meses, como pede a Comissão Européia (CE, braço Executivo da União Européia), se seus concorrentes também aceitarem esse compromisso.

EFE |

Além disso, a empresa destacou a necessidade de garantir totalmente o anonimato dos usuários após esse tempo, apagando os números dos IPs, que fornecem informação sobre o computador.

A companhia fez o anúncio através de uma carta ao grupo de trabalho formado por responsáveis de proteção de dados dos 27 países da UE, conhecido como "grupo do Comitê 29", que realizará amanhã uma reunião.

Em comunicado, a Microsoft declarou estar disposta a colaborar com os especialistas do bloco e sua recomendação de homogeneizar os procedimentos que garantam a privacidade dos usuários de internet.

Além disso, pediu às autoridades européias para promover um debate público no qual os cidadãos dêem sua opinião sobre a privacidade na internet e o período de retenção de dados, cuja redução propôs que seja voluntária.

Por outro lado, destacou que se for a única empresa a reduzir o tempo de conservação de endereços de IP para seis meses, suas concorrentes serão beneficiadas, já que só representa 2% das buscas feitas na internet.

Outros sites de busca, como o Google, representam 80% do total, indicou a companhia.

Os princípios de privacidade da Microsoft indicam que se compromete a eliminar totalmente os dados dos usuários (a menos que estes permitam mais tempo) após 18 meses.

O vice-presidente e responsável de assuntos europeus da Microsoft, John Vassallo, apontou a importância de eliminar os cookies.

Para o diretor de Estratégia de Privacidade da Microsoft, Brendon Lynch, as companhias precisam reter durante um período de tempo os dados dos usuários para melhorar seus serviços e para que possam se beneficiar de resultados mais precisos em suas buscas.

Além disso, lembrou que essa informação ajuda a organizar a publicidade de suas páginas e que os anúncios não se sobrecarreguem de visitas e, por sua vez, detectar possíveis piratas que pretendam desacelerar os servidores. EFE rja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG