Microsoft denuncia mãe que criou programa com nome de MSNLOCK

Haia, 21 abr (EFE).- A Microsoft denunciou uma mulher holandesa, mãe de três filhos, que desenvolveu um programa para controlar o número de horas que as crianças passam na internet e o batizou de MSNLOCK (algo como cadeado para o MSN).

EFE |

O nome faz alusão ao programa de "chat" da Microsoft, que se chama MSN e é um dos mais populares do mundo.

Carola Eppink teve sua idéia apoiada pela empresa Unicaresoft, que pretende comercializar o programa.

Diante das ameaças da Microsoft, a companhia optou por mudar o nome do programa para Benzoy, mas ainda assim, de acordo com a empresa, a Microsoft decidiu levar o caso para os tribunais.

O advogado da mulher, Marc de Boer, argumenta que o nome do programa se ajusta a sua finalidade e argumenta que o termo MSN já é "um sinônimo de 'bater papo'", segundo a agência holandesa "ANP".

A Microsoft, que diz que não denunciou a mulher, mas a empresa comercializadora, mantém o processo judicial apesar da mudança do nome, porque quer que o domínio MSNLOCK seja retirado da internet.

O programa idealizado por Eppink permite limitar as horas que o usuário passa conversando com outros internautas e também estabelece filtros para determinadas páginas, com conteúdos de sexo ou outros temas não aptos para menores. EFE mr/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG