Microsoft bloqueia Messenger em Cuba e países com embargo dos EUA

San Francisco, 26 mai (EFE).- A Microsoft bloqueou o serviço de mensagem instantânea MSN Messenger em Cuba e em outros países que sofrem embargo dos Estados Unidos, alegando que precisa se submeter à legislação americana, segundo informou hoje a empresa.

EFE |

O bloqueio do Messenger afeta países como Cuba, Irã, Coreia do Norte, Síria e Sudão, com os quais os EUA mantêm restrição comercial.

Em comunicado divulgado nesta terça-feira, a Microsoft ressaltou que, da mesma forma que outras companhias, "está limitada quanto aos produtos e serviços que pode oferecer a aquelas pessoas de países submetidos a embargo, em cumprimento da legislação do Governo dos EUA".

"A Microsoft é uma entre várias grandes empresas da internet que adotaram medidas para cumprir a obrigação de não fazer negócios com mercados na lista de sanções dos EUA", acrescenta a nota.

A empresa "cortou o Windows Live Messenger IM para os usuários de países embargados pelos EUA e não oferecerá mais serviço no país", informou hoje o serviço técnico do Windows Live às pessoas que hoje tentavam conectar o Messenger nessas nações.

Procurado pela Agência Efe, um porta-voz da Microsoft destacou que o bloqueio não afeta o serviço de e-mail gratuito Hotmail, que segue disponível em Cuba e nos demais países embargados pelos EUA.

"A diferença reside nas ferramentas que podem ser baixadas frente aos serviços online", explicou.

O MSN Messenger é baixado de um aplicativo no computador do usuário, enquanto o Hotmail está baseado completamente na rede. EFE pg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG