Microfot instala na Colômbia laboratório contra pirataria na América Latina

A empresa norte-americana Microsoft colocará em funcionamento em novembro na Colômbia o primeiro laboratório de identificação de produtos piratas da América Latina, construído com um custo de 450.000 dólares, disse nesta terça-feira uma porta-voz da companhia à AFP.

AFP |

Carolina Sánchez, gerente de relações corporativas da multinacional para a Colômbia, disse que se trata do nono laboratório no mundo para combater a pirataria e que se soma aos existentes em Alemanha, Austrália, Canadá, China, Estados Unidos, Hong Kong, Índia e Irlanda.

"Apesar de a taxa mundial de pirataria ter aumentado três pontos, de 35% para 38%, na América Latina esse índice de pirataria caiu de 66% para 65% no último ano", indicou a Microsoft.

Sánchez ressaltou que a abertura do laboratório na Colômbia faz parte da estratégia mundial da Microsoft "Jogo Limpo", que é desenvolvida simultaneamente em 33 países dos cinco continentes.

Segundo a Microsoft, os países com o maior índice de pirataria são Venezuela (87%), Paraguai (82%) e Nicarágua (80%). Entre as nações com menos falsificações de produtos estão Colômbia (58%), Brasil (59%) e Costa Rica (61%).

cop/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG