Proposta alimentar lançada por primeira-dama dos EUA divide o prato em porções de frutas, verduras, proteínas e cereais, além de bebida láctea

Ao dar continuidade à sua campanha contra a obesidade e uma melhor alimentação entre os americanos, a primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, apresentou nesta quinta-feira as novas recomendações nutricionais do governo americano, que abandonam a tradicional representação gráfica de uma pirâmide para substituí-la por um prato.

Em um ato no Departamento de Agricultura juntamente com o secretário Tom Vilsack e a assessora de Saúde do governo, Regina Benjamin, Michelle divulgou a nova representação gráfica, que tenta ajudar os consumidores a decidir o que colocar em seus pratos para seguir uma alimentação saudável.

Michelle apresenta nova proposta nutricional no Departamento de Agricultura, em Washington
AFP
Michelle apresenta nova proposta nutricional no Departamento de Agricultura, em Washington
Segundo a primeira-dama, trata-se de um lembrete “simples e rápido para que todos nós sejamos mais conscientes do que comemos”. “Como mãe, posso dizer o quanto ajudará os pais em todo o país". Ela ressaltou que os pais podem olhar para os pratos de seus filhos para garantir que metade seja composta de verduras e frutas e a outra metade de proteínas não gordurosas, lácteos sem gordura e cereais integrais.

A nova representação, que recebeu o nome de MyPlate, divide um prato em quatro porções iguais: uma de fruta, outra de verduras, uma terceira de proteínas e a quarta de cereais integrais. Além disso, ao desenho é acrescentado um copo, que representa os lácteos. Entre as recomendações que acompanham a nova representação gráfica se encontra a de "evitar os excessos".

Porções

Segundo as recomendações da primeira-dama, a metade do prato deve conter frutas e verduras e, pelo menos a metade dos cereais consumidos deve ser integral. Além disso, é conveniente consumir um tipo de leite com pouca gordura, beber água em vez de bebidas doces e tentar ingerir pouco sal.

Na Pirâmide de Nutrição, que representava os grupos alimentares em forma triangular, os alimentos que deviam ser ingeridos em maior quantidade se encontravam em sua base, enquanto aqueles que deviam ser consumidos moderadamente ficavam no topo.

Segundo o Departamento de Agricultura americano, a pirâmide "estava fora de moda e era muito complicada" para os cidadãos, que reclamavam de informações contraditórias. Além disso, ressaltou, a nova representação "centra-se em uma imagem familiar, a de um prato" e busca transmitir aos cidadãos a informação de que necessitam para tomar decisões saudáveis na hora de se alimentar.

Iniciativas

Em 2010, a primeira-dama lançou o projeto Let’s Move para melhorar a qualidade da alimentação infantil e estimular o exercício físico, contra índices obesidade entre crianças americanas. Michelle chegou, inclusive, a transformar os jardins da Casa Branca em uma horta para alertar sobre as necessidades de uma alimentação correta.

Além de lidar com a gigante de varejo Wal-Mart e tentar persuadir os fabricantes de alimentos a produzir rótulos nutricionais mais fáceis de entender, Michelle também se voltou aos restaurantes dos Estados Unidos. De acordo com o jornal americano The New York Times, uma equipe de assessores de Obama manteve conversas privadas ao longo do último ano com a Associação Nacional de Restaurantes, um grupo comercial americano, em uma tentativa de fazer com que os restaurantes adotem porções menores e refeições para crianças que incluam produtos saudáveis, como cenouras, fatias de maçã e leite em vez da costumeira batata frita e refrigerante.

*Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.