Michelle Obama encontra primeira-dama mexicana em viagem solo

Por Mica Rosenberg CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A primeira-dama norte-americana, Michelle Obama, reuniu-se com sua colega mexicana nesta quarta-feira em sua primeira viagem solo ao exterior, com a intenção de ressaltar os laços próximos entre os dois países vizinhos que procuram incentivar o comércio e combater violentos cartéis do narcotráfico.

Reuters |

Após uma escala não anunciada no Haiti, onde percorreu a capital devastada pelo terremoto de 12 de janeiro, a esposa do presidente Barack Obama chegou à capital mexicana na noite de terça-feira.

Michelle se reuniu com a esposa do presidente Felipe Calderón, Margarita Zavala, na residência presidencial na manhã da quarta-feira. A expectativa era que ela falasse sobre a melhora do ensino para a população pobre.

"Vir ao México é um primeiro passo natural para mim", disse a primeira-dama no avião na noite de terça-feira. "As relações entre nossos dois países são amplas e profundas. Tantos cidadãos americanos têm suas origens no México", disse ela em vídeo gravado pela Casa Branca.

As duas primeiras-damas, ambas advogadas com filhos pequenos, vão visitar o museu de antropologia do México e reunir-se com lideranças femininas, mas não têm planos de falar publicamente da guerra das drogas que corre solta no México, alimentada pela demanda de drogas ilegais nos Estados Unidos.

Calderón apostou sua presidência no esforço para esmagar as quadrilhas do tráfico, enviando o Exército para combater pistoleiros fortemente armados, em uma guerra brutal que já deixou 22.700 mortos desde que o presidente chegou ao poder, no final de 2006.

A escalada da violência preocupa Washington, que está enviando mais de 1 bilhão de dólares em ajuda antidrogas ao México, além de amedrontar turistas e obrigar alguns investidores a congelar o investimento em fábricas situadas na região da fronteira.

O Departamento de Estado dos EUA avisou seus cidadãos a evitar viagens não essenciais na fronteira EUA-México, e o assassinato no mês passado de três pessoas ligadas ao consulado dos EUA em Ciudad Juarez provocou ultraje e impôs novas pressões ao México.

"MÃE-EM-CHEFE"

Michelle Obama vem mantendo perfil relativamente calmo em seu papel de primeira-dama, evitando temas politicamente delicados e preferindo descrever-se como "mãe-em-chefe" de suas duas filhas, Sasha e Malia.

Ela defende a saúde e a educação com suas causas preferenciais, planta uma horta orgânica na Casa Branca e promove o exercício físico com sua campanha nacional "Vamos nos Mexer."

Mas sua visita ao México reforça o interesse de seu marido pelo país. Desde que chegou ao poder, em janeiro de 2009, Barack Obama viajou duas vezes ao México para reunir-se com o presidente Calderón.

Obama comprometeu-se a apoiar Calderón na guerra contra as drogas e a aumentar os laços comerciais já fortes entre os dois países, que movimentam cerca de 1 bilhão de dólares por dia em comércio bilateral.

O México, que envia a parte maior de suas exportações aos Estados Unidos, é fortemente dependente da economia dos EUA e é importante fornecedor de petróleo a seu vizinho do norte.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG