Michelle Obama é eleita a mulher mais poderosa do mundo

Duas brasileiras estão no 'top 100' da revista "Forbes": a modelo Gisele Bündchen e a candidata a presidente Dilma Rousseff

Reuters |

A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, derrotou chefes de governo, grandes executivas e celebridades ao liderar o ranking anual das mulheres mais poderosas do mundo, divulgado na quarta-feira pela revista "Forbes".

Irene Rosenfeld, que como executiva-chefe da Kraft Foods comandou a oferta de US$ 18 bilhões pelo controle da britânica Cadbury, apareceu em segundo lugar, seguida pela apresentadora e empresária das comunicações Oprah Winfrey.

A chanceler (primeira-ministra) alemã, Angela Merkel, eleita para um segundo mandato no ano passado, foi considerada a quarta mulher mais poderosa, imediatamente à frente da secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton.

AP
Michelle Obama é vista após discurso em fórum promovido pelo ex-presidente Bill Clinton (23/09/2010)

A lista das "top 10" é completada por Indra Nooy (executiva-chefe da Pepsi), Lady Gaga (cantora), Gail Kelly (executiva-chefe do banco australiano Westpac), Beyoncé Knowles (cantora) e Ellen DeGeneres (apresentadora de TV).

As duas únicas brasileiras da lista são a modelo Gisele Bündchen (72 o lugar) e a candidata a presidente Dilma Rousseff (95 o ). A única outra latino-americana é a presidente da Argentina, Cristina Kirchner (68 o ).

nullMoira Forbes, vice-presidente e "publisher" da revista ForbesWoman, disse que as mulheres citadas na lista estão "moldando muitas das conversas dos formadores de opinião hoje em dia".

"Elas construíram empresas e marcas, às vezes por meios não tradicionais, e romperam as barreiras de gênero nas áreas de comércio, política, esporte, mídia e comportamento cultural, afetando, portanto, as vidas de milhões, às vezes bilhões de pessoas", disse.

Ao contrário de edições anteriores - em que riqueza e poder contavam mais -, a lista deste ano prioriza mais a influência criativa e o empreendedorismo.

No ano passado, a líder foi Merkel, seguida por Sheila Bair, presidente da Corporação Federal de Seguros de Depósitos nos EUA. Michelle Obama apareceu em 40 o lugar.

Forbes disse que a primeira-dama lidera este ano porque "tomou conta do cargo de primeira-dama" sem perder a popularidade.

"Num sinal revelador do seu carisma, a Casa Branca a está colocando na campanha para liderar eventos de arrecadação em Estados eleitoralmente decisivos, como Califórnia e Colorado", acrescentou.

Forbes disse ainda que Michelle Obama também é eficaz, referindo-se à campanha 'Let's Move!' contra a obesidade infantil. Empresas como Coca-Cola, Kellogg e General Mills prometeram reduzir as calorias de seus alimentos até 2015.

    Leia tudo sobre: michelle obamaforbeseuamulhereslista

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG