Micheletti garante que há normalidade em Honduras

O presidente interino de Honduras, Roberto Micheletti, garantiu nesta terça-feira que há tranquilidade e ordem no país, e pediu aos funcionários públicos que voltem ao trabalho.

AFP |

"Há tranquilidade em todo território nacional", assinalou Micheletti em mensagem à Nação, ao lado dos ministros da Defesa, Adolfo Lionel Sevilla; Finanças, Gabriela Nuñez, e Saúde, Mario Noé Villafranca.

O presidente eleito, Manuel Zelaya, foi destituído pelos militares por ter tentado organizar uma consulta popular para emendar a Constituição e abrir a porta a uma eventual reeleição, em um referendo considerado ilegal pela Suprema Corte.

Micheletti reafirmou sua intenção de entregar o poder em janeiro próximo, quando terminaria o mandato de Zelaya.

O novo presidente garantiu que os "médicos e professores cubanos que estão no país receberão o melhor tratamento possível" e terão sua segurança garantida.

Já o ministro da Defesa destacou que "não houve qualquer morte" nos confrontos de segunda-feira entre as forças da ordem e manifestantes pró-Zelaya.

O ministro Lionel Sevilla garantiu que os bloqueios montados pelos militares nas estradas do país foram suspensos.

Momentos antes, a secretaria de Informação e Imprensa anunciou a prorrogação do toque de recolher até a próxima sexta-feira, para prevenir eventuais distúrbios em Honduras.

O toque de recolher passa a vigorar das 21H00 às 05H00, destaca o comunicado.

As novas autoridades do país impuseram o toque de recolher no domingo passado, inicialmente por 48 horas e entre às 21H00 e 06H00.

Leia mais sobre Honduras

    Leia tudo sobre: golpehondurasmanuel zelayaroberto micheletti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG