Micheletti e milhares de hondurenhos marcham contra Chávez em 5 cidades

Tegucigalpa, 4 set (EFE).- Milhares de hondurenhos, entre eles o presidente de fato, Roberto Micheletti, marcharam hoje em cinco cidades de Honduras contra o governante da Venezuela, Hugo Chávez, enquanto simpatizantes do líder deposto Manuel Zelaya, seguiram pedindo seu retorno ao poder.

EFE |

O protesto é "uma demonstração de que não queremos imposições de ninguém neste país", afirmou Micheletti, designado pelo Parlamento como presidente de Honduras no dia 28 de junho, quando Zelaya foi deposto.

As marchas contra Chávez foram realizadas em Tegucigalpa, San Pedro Sula (norte), Choluteca (sul), La Ceiba e na ilha de Roatán, organizadas pela União Cívica Democrática (UCD) e outros grupos civis hondurenhos.

Os manifestantes, a maioria vestidos de branco, levavam um caixão, para simbolizar que "o 'chavismo' foi enterrado em Honduras", de acordo com um porta-voz da UCD, já que, com a destituição de Zelaya, Chávez perdeu um aliado que supostamente pretendia instaurar um modelo socialista no país.

Já a frente de resistência popular que apoia Zelaya realizou uma nova manifestação em outra zona de Tegucigalpa, para exigir sua reinstalação no poder e a convocação de uma Assembleia Constituinte.

Durante o protesto, os manifestantes expressaram sua satisfação, já que os Estados Unidos suspenderam ajudas econômicas a Honduras ontem, entre outras medidas de apoio a Zelaya e de pressão ao regime de Micheletti.

"Isto vai criar uma tremenda situação de impacto na fraca economia de Honduras", disse o dirigente camponês Rafael Alegráa, um dos coordenadores do movimento que pede o retorno do presidente deposto.

Alegría pediu que nem Zelaya, nem a resistência sejam culpados por essas medidas de Washington, já que, "se há alguém responsável por esta situação, são os golpistas". EFE lam/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG